MÍDIA PRÓ-TEMER OMITE INQUÉRITO CONTRA O GOLPE



Os veículos de comunicação que promoveram o golpe parlamentar de 2016, responsável pela maior tragédia política, econômica e social da história do Brasil, decidiram esconder de seus leitores o inquérito aberto ontem no Supremo Tribunal Federal pelo ministro Luiz Fachin, em que políticos do PMDB são acusados de derrubar a presidente Dilma Rousseff com a finalidade de obstruir a Lava Jato; na Folha, a notícia mereceu apenas uma nota de rodapé; no Globo, uma nota discreta, com um parágrafo sobre a natureza da obstrução judicial (derrubar Dilma para estancar a sangria); no Estado de S. Paulo, o impeachment fraudulento foi chamado de "supostas manobras" legislativas

247 – Na noite de ontem, o Brasil ganhou uma oportunidade histórica de encerrar o filme de terror inaugurado com a "saída Michel". O ministro Luiz Fachin, do Supremo Tribunal Federal, abriu inquérito para investigar os peemedebistas Romero Jucá, José Sarney, Renan Calheiros e Sergio Machado por obstrução à Lava Jato, em razão dos diálogos em que eles defendiam a necessidade de derrubar a presidente Dilma Rousseff, promovendo o golpe contra a democracia, para "estancar a sangria e parar essa porra" da Lava Jato (leia mais aqui).

No entanto, os veículos de comunicação que promoveram o golpe parlamentar de 2016, responsável pela maior tragédia política, econômica e social da história do Brasil, com 5 milhões de demissões em dois anos, queda de 10% do PIB e caos no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, decidiram esconder de seus leitores o inquérito aberto no STF.

Na Folha, a notícia mereceu apenas uma nota de rodapé, sem explicar que a investigação é justamente contra o plano do senador Romero Jucá (PMDB-RR) de derrubar Dilma para "estancar a sangria" – uma história que foi revelada pela própria Folha. 

No Globo, uma nota discreta, com um parágrafo sobre a natureza da obstrução judicial (derrubar Dilma para estancar a sangria), revelada no diálogo entre Sergio Machado e José Sarney.

No Estado de S. Paulo, o impeachment fraudulento foi chamado de "supostas manobras" legislativas.

Se os três principais jornais do País decidiram esconder a notícia, isso significa que farão de tudo para impedir que o golpe que promoveram seja revertido pelo STF. No entanto, a anulação do impeachment, com a convocação de novas eleições, é a única saída honrosa que resta à suprema corte.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"