Décimo terceiro salário é tema do Jornada

sábado, 3 de dezembro de 2016


Quando se aproxima o final do ano, não tem jeito! Todo trabalhador já fica ansioso para receber o décimo terceiro salário. Seja para quitar dívidas, comprar presentes ou até para fazer aquela tão esperada viagem... Receber um salário a mais é alívio pra muita gente. Mas quem tem direito ao décimo terceiro? O pagamento pode ser parcelado? Qual valor deve ser pago aos empregados com menos de um ano de carteira assinada? As respostas você confere na reportagem especial do Jornada dessa semana.

No quadro Direitos e Deveres, vamos saber quais são as dúvidas da repositora e do gerente do supermercado. As respostas vêm de Brasília, Distrito Federal. 

Em Ariquemes, Rondônia, servidores da Justiça do Trabalho lançam a campanha Rapunzel Solidária, em apoio a pacientes com câncer. O projeto prevê a doação de cabelos para pacientes em tratamento quimioterápico. 

E no “Meu Trabalho é uma Arte” vamos conhecer um cake designer que não abre mão da criatividade para produzir bolos artesanais. Douglas Marchione deixou a profissão de designer de interiores para se dedicar somente à culinária.

O Jornada é exibido pela TV Justiça.

Hígor Ferreira e Vanessa Emanuela abriram as portas, nesta sexta-feira (02), do novo estúdio da Corpos Marcados

HÍGOR E EMANUELA
SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE - Um espaço com a assinatura da arquiteta Priscila Jataí, na Avenida 29 de Dezembro, vai ser o novo endereço do Estúdio Corpos Marcados, do tatuador Hígor Ferreira e equipe. 

Na festa de inauguração os convidados viram apresentações de Zumba e Capoeira e também curtiram banda de rock e música eletrônica e muitos ainda saíram com presentes sorteados pela anfitriã.

O novo estúdio, além do ambiente aconchegante, vai oferecer o que há de mais moderno na arte de tatuar, pois Hígor, com mais de dez anos de experiência, tem-se capacitado para isso.

JAIRO GOMES E HÍGOR FERREIRA
'O trabalho que a equipe do Estúdio Corpos Marcados oferece é um trabalho de alto nível onde a gente sempre se empenha em cursos de desenho, cursos de tatuagem, participa de eventos de tatuagens, inclusive já fomos premiados, enfim, a ideia de montar este estúdio foi mais para se destacar e não ficar sendo só mais um no meio de muitos. Na verdade a gente já tinha um bom atendimento, um bom estúdio, um bom espaço, mas a localização não era boa. Eu sempre tive vontade de voltar para a Avenida 29 de dezembro e surgiu agora essa oportunidade e voltamos, desta feita trazendo mais conforto para os amigos e clientes', destacou Hígor Ferreira.






O ÚLTIMO ADEUS A DONA ZEFINHA CATANHA














Junior Marsi - Lançamento EP Kairosofia - Teaser

Seminário da Unale discute experiências de combate à criminalidade

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Deputados de vários Estados brasileiros e consultores da Assembleia Legislativa de Pernambuco se reuniram nesta quinta-feira (1º) no Seminário de Segurança, promovido pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). 

O encontro aconteceu no Recife e teve como reflexão experiências de enfrentamento à violência, como a de Bogotá, capital e maior cidade da Colômbia. 

Os projetos desenvolvidos no Pacto pela Vida e no Centro Comunitário pela Paz (Compaz) também foram analisados nos painéis apresentados pelo secretário de Segurança do Recife, Murilo Cavalcanti, e do consultor legislativo da Alepe, Victor Barreto.

Segundo o primeiro-secretário da Alepe e tesoureiro da Unale, deputado Diogo Moraes "o seminário visa à multiplicação de modelos bem-sucedidos de combate à violência, a exemplo do Recife, que se tornou a capital com menor índice de Crimes Violentos Letais Intencionais da Região Nordeste, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública." Entre os caminhos apontados pelo encontro, destacam-se o protagonismo do município no combate à criminalidade e a importância da inserção do cidadão na criação de políticas públicas para a área. 


Bogotá e Medellín foram os objetos de pesquisa de Murilo Cavalcanti durante uma década, realizando dezenas de visitas às cidades para conhecer as políticas públicas de combate à criminalidade. Segundo ele, o principal motivo dos resultados positivos das cidades colombianas foi a sucessão de bons prefeitos dos últimos anos. “Somente polícia não dá resultado. Os prefeitos, que são os entes mais próximos da população, precisam estabelecer políticas públicas municipais de prevenção à violência urbana.”, afirma Cavalcanti. 

O presidente da Secretaria de Segurança da Unale, deputado Eriberto Medeiros (PTC), ressalta que os parlamentares dos Estados estão atentos à grave crise da segurança no País e buscam dar uma resposta à sociedade. A presidente da Unale, Ana Cunha (PSDB), deputada pelo Estado do Pará, afirma que o seminário coloca o Recife como referência na área de segurança. Já o consultor legislativo da Alepe, Victor Barreto, avalia que a política estadual do Pacto pela Vida tem as ferramentas necessárias para corrigir o próprio trajeto.

Fotos: Henrique Genecy

ADEUS DONA ZEFINHA CATANHA. DESCANSE EM PAZ MINHA AMIGA.


NOVEMBRO AZUL MOVIMENTOU ALUNOS DO DEVRY UNIFAVIP

Caruaru - Alunos do Curso de Enfermagem do Devry Unifavip promoveram a Campanha Novembro Azul e com isso tiveram a oportunidade de mostrar o conhecimento adquirido no dia a dia acadêmico, pondo em prática o que aprenderam. 

Na área comum do Centro Universitário eles atenderam diversas pessoas no sentido de esclarecer dúvidas e orientar para que procurassem serviços especializados, caso assim necessitassem. Fizeram medição de pressão e testes de glicemia.

'Eventos assim são muito importantes e ajudam na vivência, pois lidamos diretamente com o público que precisa da informação e do procedimento', falou Camilla Vasconcelos, aluna do 7° período.

O aluno do 4° período Hérikris Nogueira falou sobre o curso: 'O diferencial do curso é o ajudar, é o cuidar do próximo, é você viver sua vida para ajudar o próximo. Sua vida não vai ser só sua. Sua vida vai ser refletida ao próximo. O que me levou a escolher o curso foi isso. Foi saber que eu posso ajudar as pessoas e posso me ajudar tendo a certeza de que estou no caminho certo. O Devry tem um ótimo padrão de ensino e nos oferece o que há de mais avançado para nosso aprendizado'

'O curso de enfermagem é na verdade o fundamento da área da saúde. Nenhuma das outras profissões se desvinculam da enfermagem, então os nossos alunos são direcionados a ter essa autonomia, para terem esse senso crítico e esses eventos ajudam esses alunos a terem uma assimilação com o público, a se relacionarem com as pessoas, a saber atender um paciente e a prestar uma assistência realmente humanizada e direcionada. Essa é a intenção dos eventos que a gente realiza, tanto aqui dentro do UNIFAVIP, quanto externamente quando da participação dos alunos. A essência do nosso curso é a arte do cuidar e a ciência do cuidar. O nosso foco da enfermagem é cuidar das pessoas', completou Suzana Costa, coordenadora do curso.

DENÚNCIA DE QUE AGU JÁ ERA CONTRA PRÉDIO DE GEDDEL AGRAVA CRISE, DIZ HUMBERTO



Revelação de que a Advocacia-Geral da União (AGU) também já havia proibido, assim como o Iphan, que o empreendimento imobiliário de Geddel Vieira Lima (PMDB) seguisse para além do limite permitido de altura em uma área histórica tombada na cidade de Salvador é um fato gravíssimo que só agrava a crise"; "É algo vergonhoso, que enseja, ainda, a apuração dos crimes comuns cometidos por Michel Temer – um réu confesso, um sujeito que assumiu publicamente que arbitrou, como presidente da República, interesses privados –, bem como os crimes de responsabilidade que praticou no exercício do cargo", pontuou

Pernambuco 247 - A revelação de que a Advocacia-Geral da União (AGU) também já havia proibido, assim com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que o empreendimento imobiliário luxuoso de Geddel Vieira Lima (PMDB) seguisse para além do limite permitido de altura em uma área histórica tombada na cidade de Salvador cai como uma nova bomba no colo do governo. Esta é a avaliação do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).

Segundo ele, a notícia gravíssima, divulgada nesta quarta-feira (30) pela sucursal da empresa jornalística britânica BBC no Brasil, demonstra que o Palácio do Planalto é um consórcio criminoso operado pelo próprio presidente não eleito Michel Temer (PMDB).

"Eles agiram deliberadamente para que pareceres técnicos de dois órgãos estatais fossem rasgados com a finalidade de que interesses privados de um alto integrante do governo fossem plenamente atendidos", resumiu o parlamentar.

Geddel saiu do governo em meio ao escândalo do governo batizado de Calerogate. O caso veio à tona depois que o ministro da Cultura Marcelo Calero pediu demissão por ter sido pressionado pelo Planalto a liberar a obra de um edifício na capital baiana. O Iphan, vinculado à pasta, já havia decidido embargar a obra, o que irritou Geddel.

Para Humberto, o ex-ministro da Secretaria de Governo, com interesses escusos, colocou o núcleo de poder do país, incluindo "a figura diminuta do presidente da República", para trabalhar em favor da liberação do empreendimento.

"É algo vergonhoso, que enseja, ainda, a apuração dos crimes comuns cometidos por Michel Temer – um réu confesso, um sujeito que assumiu publicamente que arbitrou, como presidente da República, interesses privados –, bem como os crimes de responsabilidade que praticou no exercício do cargo", declarou.

O líder do PT também falou sobre a gravidade das conversas gravadas por Calero que implicam Temer, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo Rocha, indicado por Eduardo Cunha para o cargo.
Humberto acredita que as gravações comprovam que o ministro da Cultura se recusou a transgredir a lei e a rasgar os pareceres do Iphan e da AGU que proibiam o empreendimento.

"E o que fez o conluio criminoso do Palácio do Planalto? O presidente da República determinou ao subchefe da Casa Civil que ele reiterasse aquilo que ele mesmo, Michel Temer, e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, já haviam dito pessoalmente a Marcelo Calero: pegue o caso e mande para a AGU diretamente, que lá a ministra-chefe, Grace Mendonça, vai dar um jeito, vai atender àquilo que nós queremos e que você, Marcelo Calero, se recusa a fazer", afirmou.

Humberto espera respostas rápidas da Procuradoria-Geral da União (PGR) sobre os crimes cometidos por Temer e demais, e entende que Padilha e Rocha têm muito a explicar sobre o porquê queriam remeter à AGU um processo que já estava finalizado na sua negativa de autorização àquela construção irregular.

Para o senador, a ministra da AGU, cujo antecessor deixou o cargo também denunciando pressão política e acusando-a de leniência em investigar apaniguados políticos de Temer, também tem de dizer que jeitinho ela daria para viabilizar uma obra que a própria instituição que comanda proibiu ser erguida além daquilo determinado.

LINDBERGH A MORO: E SE UM JUIZ DO TEXAS GRAMPEASSE CLINTON E OBAMA?



Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta quinta-feira, 1º, durante debate sobre o projeto de lei que pune juízes e procuradores por abuso de autoridade, que o juiz federal Sérgio Moro, da Lava Jato, também presente no Senado, "não está acima da lei"; "Não é sensato nem democrático considerar que uma tentativa de impedir um desequilíbrio na República, garantindo que todos sejam iguais perante a lei, é 'uma tentativa de controlar as investigações', como afirma Moro", disse; Lindbergh ainda questionou: "O senhor fala muito dos EUA, imagina um juiz de primeira instância do Texas gravar e divulgar conversa entre Clinton e Obama. O que aconteceria com ele?"

247 - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) questionou nesta quinta-feira, 1º, durante debate sobre o projeto de lei que pune abuso de autoridade, o juiz federal Sérgio Moro. "O senhor não está acima da lei", disse o senador ao magistrado, que participava do debate no Senado.

"Não é sensato nem democrático considerar que uma tentativa de impedir um desequilíbrio na República, garantindo que todos sejam iguais perante a lei, é 'uma tentativa de controlar as investigações', como afirma Moro", disse Lindbergh.

Lindbergh também questionou o juiz Sérgio Moro sobre o que aconteceria se um juiz de primeira instância do Texas gravasse e divulgasse para a imprensa uma conversa telefônica entre Bill Clinton e Barack Obama.

Veja vídeo:

Odebrecht assina acordo de leniência com procuradores da Lava Jato

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

BELA MEGALE
DE BRASÍLIA


A Odebrecht assinou na tarde desta quinta (1), em Curitiba, o acordo de leniência (espécie de delação premiada da pessoa jurídica) com os procuradores da Lava Jato.

Com a leniência firmada, a assinatura dos acordos de delação premiada dos 77 executivos do grupo, entre eles o herdeiro e ex-presidente Marcelo Odebrecht, começou a ser realizada nesta quinta em Brasília. Segundo envolvidos na negociação, boa parte deles já oficializou o acerto.

O presidente do Conselho de Administração e dono da empreiteira, Emílio Odebrecht, já assinou o acordo. Como o número de delatores é elevado, as assinaturas podem se estender por dois dias.

Com o acordo de leniência, a empresa garante o direito de continuar sendo contratada pelo poder público. Também retira um entrave à contratação de empréstimos junto a instituições financeiras.

No acordo de leniência, a empreiteira se compromete a pagar uma multa de R$ 6,7 bilhões em 20 anos. Esse valor inclui o montante devido pela Brasken. O dinheiro será dividido entre o Brasil, que ficará com pelo menos 70% dos recursos, Estados Unidos e Suíça.

A expectativa dos advogados da empresa e dos investigadores brasileiros era a de que o acordo fosse assinado na semana passada, conforme informou a Folha, mas houve atraso devido à divergência sobre o valor que será repassado aos EUA.

As autoridades americanas exigiram o aumento de pelo menos US$ 50 milhões no montante que será transferido para o país, além de mudanças nas condições de pagamento, como a quitação da dívida com os EUA no primeiro ano do acordo.

Detido desde junho do ano passado, Marcelo Odebrecht firmou um acordo de pena de dez anos, sendo que cumprirá mais um em regime fechado, até o fim de 2017.

Na semana passada, muitos executivos chegaram a viajar para a capital federal, mas a assinatura não ocorreu devido ao impasse com os americanos.

O próximo passo é a homologação do acordo pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki. É a etapa necessária para que as colaborações sejam validadas.

Para que a homologação seja feita, os executivos precisam prestar depoimentos aos procuradores detalhando os fatos que apresentaram de maneira resumida ao longo da negociação, nos chamados anexos.

O acordo de delação premiada da Odebrecht é um dos mais aguardados na Lava Jato. As negociações começaram em março deste ano.

Entre os políticos mencionados nas conversas preliminares estão o presidente Michel Temer (PMDB), os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT), o ministro das Relações Exteriores José Serra (PSDB), governadores, deputados e senadores.