O TEMPO NÃO PARA, COMO DIZ MARCONDES MORENO


Para que um projeto político seja levado adiante ele tem, que no mínimo, contar com respaldo popular ou mesmo de lideranças que se proponham a apoiá-lo. Para tanto basta uma plataforma com substância e que encontre ressonância e que seja plausível e uma grana suficiente para não passar vergonha.

Entretanto, vários fatores fazem surgir candidatos. Este ano de 2018, que é ano eleitoral, várias pré-candidaturas são lançadas ao sabor do vento ou das circunstâncias. As vezes atendendo ao clamor popular e de outras vezes atendendo tão somente a vaidade.

Algumas pré-candidaturas se diluem facilmente, se desidratam com o tempo, mas algumas resistem e os pretensos candidatos encontram fôlego para ir tocando seus projetos.

Os mais persistentes podem chegar às convenções e se lançarem candidatos. Isso no campo dos 'novatos', pois no campo dos políticos 'profissionais' a coisa é bem diferente.

O político de longas datas, quando não é o manda chuva do partido a que está filiado, consegue aglutinar ao seu redor os melhores apoios e fica na espreita para que seja abrigado em um partido e em uma coligação, que lhe dê a condição de vencer, ou na pior das hipóteses ficar em uma boa colocação na disputa eleitoral.

Ainda tem aquele candidato que entra em uma eleição pensando na eleição posterior, ou seja, ele se candidata a deputado em 2018 de olho na eleição de prefeito em 2020. Pensando ele que, mesmo que não ganhe a vaga a que está disputando agora, pode ter seu nome lembrado para a eleição seguinte.

O ano está apenas começando. As disputas eleitorais também. O calendário já está pronto e o tempo não para, como diz Marcondes Moreno.

E cada um com seus pensamentos e suas estratégias.

Por Jairo Gomes

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO

CLEITON BARBOZA ESTÁ FAZENDO A ESCOLHA CERTA

“A política ama a traição, mas abomina o traidor”

A LISTA DE EDSON VIEIRA