DILMA: “QUEM BATEU PANELA FOI CONTRA OS PRÓPRIOS INTERESSES”


Presidente deposta lembra que a bandeira com a qual tiraram-na do poder foi a de que acabaria a corrupção; "Pelo contrário, colocaram no meu lugar um governo explicitamente corrupto", destacou, em entrevista ao programa da jornalista Mariana Godoy, um ano após o golpe; segundo ela, "este governo é dirigido desde a prisão em Curitiba, pelo Eduardo Cunha, ainda hoje o grande construtor das vitórias do governo Temer no Congresso"; Dilma acredita que "o combate à corrupção saiu do controle" e que é preciso punir os responsáveis pelos atos ilícios, mas não "criminalizar uma instituição"

247 - Um ano após a consumação do golpe parlamentar, a presidente deposta Dilma Rousseff avalia que quem bateu panela à época, saindo às ruas para protestar pelo impeachment, "foi contra os próprios interesses".

"Porque você veja... a bandeira 'por que tirar a presidente? Ah, acabará a corrupção'. Pelo contrário, colocaram no meu lugar um governo explicitamente corrupto", lembrou Dilma, em entrevista ao programa da jornalista Mariana Godoy na noite desta sexta-feira 1º (assista aqui).

Segundo Dilma Rousseff, "este governo é dirigido desde a prisão em Curitiba, pelo Eduardo Cunha". "Hoje, continua sendo o Eduardo Cunha o grande construtor das vitórias do governo Temer no Congresso", afirmou, sobre o controle do ex-deputado sobre o chamado 'Centrão', que ela define como um "agrupamento extremamente fisiológico".

Sobre o impeachment, ela comentou: “Eu estou carta fora do baralho indevidamente. Eu devia estar no Palácio do Planalto e no Alvorada, e não aqui. Isso é uma questão óbvia”. E disse que tem recebido convites para se candidatar em 2018, mas que analisa todos com "muita calma".

Dilma faz críticas ao combate à corrupção da forma como é praticado pela Operação Lava Jato, que em sua avaliação "saiu do controle". E rebate argumentos de que o BNDES tenha praticado atos ilícitos ao financiar projetos de empresas envolvidas na investigação.

"Desde quando financiar empresas neste país é corrupção? Que distorção é essa? Pelo contrário. O crédito é um dos instrumentos de crescimento econômico. Nenhum país cresce sem crédito", opinou. "Não há provas de que o BNDES tenha praticado corrupção", ressaltou Dilma.

"Só há uma forma de combater a corrupção, pegando o caso concreto e punindo quem a praticou. Agora você não pode criminalizar uma instituição", defendeu a presidente deposta. "Executivos têm que pagar, mas não se pode destruir a Odebrecht", criticou.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"