Quanto vale?, por Dário Gomes*

O valor de algo depende de que?

PASTOR DÁRIO GOMES
Começo essa simples meditação com uma singela pergunta: Quanto vale uma ação, um gesto, uma dedicação? Quanto vale uma vida? Quanto vale uma benção? 

Eu estava pesquisando e achei algumas coisas valiosas: Quadros, obras de artes, esculturas, instrumentos musicais, animais em exposição. Existem objetos que atingem os milhões de dólares e uma obra assinada por um grande pintor pode ser arrematada, nos leilões, por valores exorbitantes. Quanto mais raro, mais valioso é. 

Uma obra tem seu valor conhecido quando alguém a reconhece ou sabe discernir ser ela verdadeira. Cópias não atingem nem 10% do valor da original. 

O valor de uma obra depende da assinatura de quem a fez ou projetou. Um objeto pode alcançar valores exorbitantes, dependendo de quem o fez, moldou ou possuiu.

Se apresentássemos um quadro famoso a uma pessoa que, não entende de arte, como eu mesmo, e pedisse para avaliar a obra, obviamente para essa pessoa, nada valeria ou valeria muito pouco. Se fosse um faminto e oferecesse para sua escolha, um quadro famoso e um prato de sopa, nem precisa ir muito longe para entendermos que ele escolheria aquilo que saciaria sua fome: o prato de sopa. O quadro, por sua vez, embora pudesse lhe render milhares de refeições, para nada lhe serviria naquele momento. 

Quanto valeria um manuscrito original das sagradas escrituras? Quanto se pagaria pelo manto usado por Jesus? E se tivéssemos as duas tábuas escritas pelo dedo de Deus, entregues a Moisés no Sinai, quanto custaria? Isso depende do reconhecimento de quem as encontrasse. Imagine um homem simples, analfabeto, em pleno deserto, encontrando duas tábuas de pedras escritas. De que lhe valeria carregar tamanho peso? Aumentaria sua carga e tempo de viagem, possivelmente diria: Não vale a pena. Desprezá-las-ia sem nenhum remorso. A falta de conhecimento nos faz desprezar coisas muito valiosas, e quando corrermos a busca-las será tarde demais. 

Na bíblia encontramos um episódio um tanto quanto interessante: Jacó e Esaú.

Gênesis 25:27-34 - E cresceram os meninos, e Esaú foi homem perito na caça, homem do campo; mas Jacó era homem simples, habitando em tendas. E amava Isaque a Esaú, porque a caça era de seu gosto, mas Rebeca amava a Jacó. E Jacó cozera um guisado; e veio Esaú do campo, e estava ele cansado; E disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado. Por isso se chamou Edom. Então disse Jacó: Vende-me hoje a tua primogenitura. E disse Esaú: Eis que estou a ponto de morrer; para que me servirá a primogenitura? Então disse Jacó: Jura-me hoje. E jurou-lhe e vendeu a sua primogenitura a Jacó. E Jacó deu pão a Esaú e o guisado de lentilhas; e ele comeu, e bebeu, e levantou-se, e saiu. Assim desprezou Esaú a sua primogenitura.

Esaú desprezou a benção porque, não sabia que esta tinha a assinatura de Deus. 

Esaú era o primogênito de Isaque e, portanto trazia em si o direito da benção patriarcal, isso incluiria não só uma questão familiar, mas também uma benção maior da parte de Deus, ele não tinha consciência disso. Esaú vende uma benção que lhe seria dada, sem nenhum ônus, da parte de Deus, aquela benção tinha a assinatura de Deus e Esaú não sabia ou não cria, por isso a bíblia o chama de profano e fornicador, por ter desprezado o direito da primogenitura por um prato de lentilhas.

Hebreus 12:16-17 - E ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.

Esaú chora em busca da bênção perdida e já não tem mais jeito.

Quantas vezes rejeitamos coisas somente pelo fato de não conhecermos e aceitamos tantas outras que nem queremos conhecer.

A vida, para muitos, tem um valor fútil mas é bom lembrar que objetos tem custo , porém vidas tem valor.

Matam-se pessoas por qualquer coisa: Dinheiro ou bens. Vidas são destruídas por coisas passageiras, por coisas de ínfimo valor. 

Um homem sem entendimento não valoriza aquilo que possui ou recebe, ele despreza as coisas mais sublimes da vida. Um homem sem entendimento despreza até as coisas de Deus. 

Salmo 49.20 - O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.

Valorize a vida, valorize as pessoas, valorize o tratar com pessoas, valorize-se, mas acima de tudo, valorize a bênção de Deus na sua vida. Nada pode substituir essa bênção porque com ela nada mais vai faltar.

Dinheiro e bens são resultados de uma vida abençoada, se estes chegarem por meios lícitos. Nada substitui a bênção de uma vida íntegra. Os valores da moral, da boa conduta e do respeito são incomparavelmente maiores que quaisquer outros bens.

O valor da vida está acima das riquezas, dos bens e das posições. Só Deus tem o poder dar a vida e tornar a tomá-la.

Salmos 49:6-7 - Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas, nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele.

I Pedro 1:18-19 - Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.

Sendo nós, obra das mãos do Criador, imagine o valor que temos.

Um abraço e até a próxima, se Deus permitir.

*Dario Gomes de Araujo é Evangelista da Igreja Assembleia de Deus e atualmente é gestor na cidade de São José do Egito

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DO RADIALISTA AGNALDO SILVA

PARA RECORDAR. MATÉRIA QUE FIZ COM AGNALDO SILVA EM 2014

DISTRITO DE PÃO DE AÇÚCAR É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO SBT POR CAUSA DA VIOLÊNCIA

Deputado fala sobre necessidade de movimento jurídico para barrar privatização da Eletrobras

PRUDÊNCIO GOMES: "ESTOU À DISPOSIÇÃO DO POLO DE CONFECÇÕES"