A voz do povo, por Dário Gomes

DÁRIO GOMES
Alguém diz: A voz do povo é a voz de Deus, mas. . . Se o povo estiver mentindo?

O dia nascera como qualquer outro na pequena cidade interiorana, nada de novo acontecera pela madrugada. De repente um grito ecoa: Isto é um assalto! Um burburinho, movimentos, correrias. Era gente por todos os lados; pânico geral. A notícia já estava na boca do povo. Alguém dizia: Fizeram um arrastão. Outro afirmava: ainda deu para ouvir os tiros. Já tem quem afirme que morreram dois na investida. Gente passando mal. Suor frio na espinha. Medo. Alguém anotou a placa? Quantos eram? Qual era a cor do veículo? 

Chamem a polícia! Pelo amor de Deus.

Era dia de feira, e logo todos sabiam que algo acontecera, mas roubaram o que? Quem foi a vítima? Pegaram os ladrões? Ninguém sabia de nada.

Sobretudo uma senhora, ainda inconformada com a inflação, continuava a gritar a plenos pulmões: Isto é um assalto, quem já viu um simples tomate tão caro assim? Está custando os olhos da cara.

É assim que surge um boato. Um fato de menor importância gera na cabeça de alguém outro, bem maior. Estamos vivendo um tempo em que é necessário mais informações para então podermos afirmar o que estamos acessando ou ouvindo. Quantas imagens ou vídeos estão sendo manipulados de forma irresponsável, provocando uma onda de mentiras ou a supervalorização de um fato de menor importância. 

Uma imagem de uma criança em situação difícil, sempre chama a atenção, uma chamada com o título: “cristãos sendo queimados vivos”, se torna alvo de milhares de acessos, mas até onde esses e outros fatos são verdade?

Dias atrás uma pessoa de nossa igreja me ligou preocupada, pois lera que, a partir do mês de fevereiro seria cobrada uma taxa licença de todas as Carteiras de Habilitação e que a mesma seria anual. Pedi que me enviasse uma cópia da matéria. E não precisei ir muito longe para perceber que se tratava de um boato. Mostrei que havia erros graves na gramática e que a justificativa, para tal imposto era, no mínimo, inconcebível. Também não havia uma nota sequer nos jornais de maior circulação e não se ouviu falar de matéria igual discutida no plenário da Câmara, portanto era mentira. No dia seguinte, o órgão oficial (Denatran) emitiu nota desmentindo a falsa notícia.

Eis alguns boatos que circulam, atualmente, na internet através das redes sociais:

1. PMDB e PSB aprovam aposentadoria para deputados com um ano de mandato.

2. Cobra Pitón gigante engole moça no estado do Goiás.

3. Exército é rendido por traficantes em favela do Espírito Santo.

4. O cantor Sérgio Reis reclama do salário e aposentaria dos deputados.

5. Caminhoneiro, que tomou tiro na boca, procura família.

6. Pastora Patrícia vende orações por R$ 1.500,00, pelo Whatsapp.

As informações são do site www.boatos.org , mas há outros sites especializados em desmascarar falsas notícias.

Antes de afirmarmos algo, seja de qual fonte for, é necessário conhecer a procedência da informação. 

Na bíblia encontramos um fato bastante interessante. João Batista recebe a seguinte informação: 

João 3:26 - E foram ter com João, e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tu deste testemunho, ei-lo batizando, e todos vão ter com ele.

A informação não procedia porque Jesus não batizava, mas ordenou seus discípulos a realizarem o batismo conforme está contido em João 4:1-2 - E Quando o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João (Ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos).

Nesse caso João Batista usa de uma expressão que valorizava aquele de quem queriam provocar-lhe o ciúme.

João 3:30 - É necessário que ele cresça e que eu diminua.

Com tal expressão João Batista cala a boca daqueles que vieram mentir-lhe e não passou adiante aquilo que não era verdade.

Se uma pessoa é apanhada com um produto, fruto de ação criminosa, essa pessoa é indiciada por crime de receptação. E se formos apanhados com uma história, não verídica, ainda que não a tenhamos inventado, o que acontece? 

Lembre-se: O diabo é o pai da mentira. Todos os que tem prazer nela tornam-se tal qual seu pai.

João 8:44 - Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.

Se o povo mente, sua voz não pode ser a voz de Deus. Porque Deus é verdade e nele não há enganos.

João 17:3 - E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

Um abraço e até a próxima, se Deus permitir.

*Dario Gomes de Araujo é Evangelista da Igreja Assembleia de Deus e atualmente é gestor na cidade de São José do Egito

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Bartol Neves assumirá mandato em Brejo da Madre de Deus

Bitcoin só perde para o Magazine Luiza em valorização em 2017

Líder do PT confirma nome de Marília Arraes em 2018 e diz que Fernando Filho não tem chance

NA MADRUGADA – NO INTUITO DE MARCAR CONSULTA, GRUPO PERNOITA NAS CALÇADAS, EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE