Não é improvável, diz Temer sobre candidatura

Presidente afirmou ainda não ter tomado decisão e
 que 'tudo' será objeto de conversações

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

O presidente da República, Michel Temer, durante declaração de imprensa junto com o Presidente da República da Colômbia, Juan Manuel Santos. Foto: Dida Sampaio/Estadão

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira, 20, que ainda não decidiu sobre uma eventual candidatura à Presidência da República neste ano. Temer, porém, admitiu que trata-se de uma possibilidade. “Ainda não decidi. Não é improvável, mas ainda não decidi”, disse. 

A declaração do presidente foi dada no final de um almoço oferecido ao presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, no Itamaraty.

No domingo passado, o BR-18 – novo site de notícias do Grupo Estado – revelou que Temer já começou a avisar aos seus principais interlocutores que está disposto a concorrer a um novo mandato.

Ontem, ao ser questionado sobre quando tomaria a decisão, Temer desconversou. “O tempo dirá.” O presidente acrescentou ainda que ainda estão em curso as conversas em torno da definição do candidato que defenderá o legado de seu governo.

Segundo ele, “tudo” será objeto das conversações. “Converso com o Meirelles ainda, que é uma grande figura”, disse o presidente, referindo-se a seu ministro da Fazenda Henrique Meirelles, do PSD, que também tem sinalizado sua intenção em se lançar candidato ao Palácio do Planalto.

Na semana passada, o Estado revelou que Meirelles pretendia fazer um gesto em direção ao presidente. A intenção do ministro era propor um “pacto de risco”, segundo o qual ele deixaria a pasta em abril e, até o começo de julho, filiado ao MDB, viajaria pelo País com a intenção de se tornar mais conhecido dos eleitores.

Pela proposta, se seu nome não decolar em três meses, ou se Temer resolver disputar um novo mandato, o ministro retiraria sua pré-candidatura para apoiar a do presidente.

Se estiver convencido de sua inviabilidade como candidato, Temer deve fazer um movimento em direção à candidatura de Meirelles. O ministro da Fazenda também não descarta fazer uma aliança com o MDB e cogita até trocar o PSD, onde sua intenção de se candidatar ao Palácio do Planalto não encontra espaço, por um partido menor para viabilizar uma eventual candidatura.

‘Esconderijo’ 

Nesta terça-feira, a ex-ministra Marina Silva, pré-candidata da Rede à Presidência, criticou a possibilidade de uma candidatura de Temer. Marina disse que isso seria visto como uma tentativa de “se esconder da Justiça”.

“Basta de termos pessoas que usam a função pública como esconderijo para os erros que cometeram e para se esconder da Justiça”, disse a ex-ministra após participar de um evento no Fórum Mundial da Água, em Brasília. / COLABOROU ISADORA PERON

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara