Não é improvável, diz Temer sobre candidatura

Presidente afirmou ainda não ter tomado decisão e
 que 'tudo' será objeto de conversações

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

O presidente da República, Michel Temer, durante declaração de imprensa junto com o Presidente da República da Colômbia, Juan Manuel Santos. Foto: Dida Sampaio/Estadão

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira, 20, que ainda não decidiu sobre uma eventual candidatura à Presidência da República neste ano. Temer, porém, admitiu que trata-se de uma possibilidade. “Ainda não decidi. Não é improvável, mas ainda não decidi”, disse. 

A declaração do presidente foi dada no final de um almoço oferecido ao presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, no Itamaraty.

No domingo passado, o BR-18 – novo site de notícias do Grupo Estado – revelou que Temer já começou a avisar aos seus principais interlocutores que está disposto a concorrer a um novo mandato.

Ontem, ao ser questionado sobre quando tomaria a decisão, Temer desconversou. “O tempo dirá.” O presidente acrescentou ainda que ainda estão em curso as conversas em torno da definição do candidato que defenderá o legado de seu governo.

Segundo ele, “tudo” será objeto das conversações. “Converso com o Meirelles ainda, que é uma grande figura”, disse o presidente, referindo-se a seu ministro da Fazenda Henrique Meirelles, do PSD, que também tem sinalizado sua intenção em se lançar candidato ao Palácio do Planalto.

Na semana passada, o Estado revelou que Meirelles pretendia fazer um gesto em direção ao presidente. A intenção do ministro era propor um “pacto de risco”, segundo o qual ele deixaria a pasta em abril e, até o começo de julho, filiado ao MDB, viajaria pelo País com a intenção de se tornar mais conhecido dos eleitores.

Pela proposta, se seu nome não decolar em três meses, ou se Temer resolver disputar um novo mandato, o ministro retiraria sua pré-candidatura para apoiar a do presidente.

Se estiver convencido de sua inviabilidade como candidato, Temer deve fazer um movimento em direção à candidatura de Meirelles. O ministro da Fazenda também não descarta fazer uma aliança com o MDB e cogita até trocar o PSD, onde sua intenção de se candidatar ao Palácio do Planalto não encontra espaço, por um partido menor para viabilizar uma eventual candidatura.

‘Esconderijo’ 

Nesta terça-feira, a ex-ministra Marina Silva, pré-candidata da Rede à Presidência, criticou a possibilidade de uma candidatura de Temer. Marina disse que isso seria visto como uma tentativa de “se esconder da Justiça”.

“Basta de termos pessoas que usam a função pública como esconderijo para os erros que cometeram e para se esconder da Justiça”, disse a ex-ministra após participar de um evento no Fórum Mundial da Água, em Brasília. / COLABOROU ISADORA PERON

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO