Redação do Enem 2018 sobre manipulação de dados na internet exige foco para alunos não fugirem do tema, dizem professores

Tema da prova de redação foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) no início da tarde deste domingo (4).

Por Ana Carolina Moreno e Elida Oliveira , G1


O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 não trouxe surpresas aos professores de cursinhos ouvidos pelo G1. Mas, apesar de eles terem trabalhado o conteúdo em sala, eles dizem que será necessário que os estudantes mantenham o foco para que não fujam do assunto.

O tema é 'Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet' e foi divulgado às 13h47 deste domingo (4), no início do primeiro dia de provas.

Tema atual e abrangente, segundo os professores

De acordo com o professor de redação do Colégio pH Thiago Braga, o tema foi tratado na sala de aula, mas da forma como apareceu na prova é abrangente. "Ele pode estar voltado para política, consumo ou comportamento. Depende qual direção os textos de apoio vão apontar", falou.

"É um tema discutido em sala porque já tivemos várias aulas sobre 'big data'", diz Anibal Telles, do curso Anglo. "Mas, sem os textos de apoio fica difícil sermos detalhistas."

O Inep ainda não divulgou quais foram os textos de apoio.

Telles diz que a redação pode se apoiar em várias frentes. "Pode ser voltado tanto para o consumo quanto para as 'Fake News', porque tudo o que o usuário recebe na internet já vem editado. A gente não pode achar que, ao fazer uma pesquisa na internet e conseguir logo a informação, isso é economia de tempo. Isso ocorre porque já há um acesso prévio aos seus dados. Em termos de política, isso reforça a bolha, porque só chegam as informações com as quais você se identifica e toda manipulação é perigosa", fala.

Para Braga, do Colégio pH, o tema não tem relação direta com as notícias falsas, mas sim com a manipulação de dados dos usuários. "Como o tema é 'manipulação do comportamento', acredito que não esteja ligado diretamente à política, mas a como o comportamento do usuário da internet pode ser manipulado por meio de acesso aos dados dele", disse ao G1.

Ele fala que o aluno deve ficar atento para não fugir da proposta da redação.

"A princípio não me parece um tema fácil porque possibilita uma série de leituras que pode levar o aluno a uma direção diferente do que a banca quer. Por isso é importante saber quais os textos de apoio que foram apresentados, para termos uma direção do que foi pedido."

Para a professora Ana Paula Severiano, do Colégio Stockler, ao contrário do tema de 2017, o deste ano não surpreende. "O contexto mundial e, em especial, o brasileiro anunciava uma reflexão a respeito da informação que circula na internet e dos impactos que a manipulação desses dados têm na sociedade."

Segundo ela, tema semelhante já apareceu em outros vestibulares deste ano, como o da Santa Casa de Medicina de São Paulo, e também da Unesp e da Unicamp, em processos anteriores.

Para a professora Viviani Xanthakos, do laboratório de redação do Objetivo, o tema não surpreendeu, já que uma das principais apostas para o tema da redação do Enem 2018 eram as notícias falsas. Porém, a abordagem escolhida pelo Inep foi mais específica, falando diretamente sobre uma das questões envolvendo as notícias falsas, que é o armazenamento de dados dos internautas pelas empresas.

“Se um usuário demonstra um comportamento, clica em muitas matérias que não têm tanta credibilidade, reportagens tão grandes, acaba criando um perfil online e receber mais conteúdo, mais propagandas relacionadas ao que está pesquisando”, explicou a professora.

Argumentos que podem ser usados

Segundo Braga, do Colégio pH, os alunos podem usar a privacidade como argumento. "Os alunos podem falar sobre privacidade, sobre como hoje ela não existe mais. Se você está na internet, os seus dados são utilizados para que você seja conhecido e seja conduzido a determinado tipo de comportamento. Isso pode ser problemático porque as pessoas acabam perdendo a privacidade."

Para Ana Paula Severiano, do Colégio Stockler, a proposta de intervenção pode ser feita em várias frentes: "É necessária, por exemplo, a formação dos usuários para que tenham clareza da política de privacidade a que aderem em uma rede social e também para que sejam capazes de checar a veracidade da informação que recebem pela internet."

Enem quebra sequência de temas de minorias

Anibal Telles, do curso Anglo, comenta que o Enem vinha em uma sequência de temas sociais e de minorias nas redações – em 2015 foram as mulheres, em 2016 foram os negros, em 2017 foram os suros (veja lista abaixo) – mas neste ano quebrou este sistema. "Pode ser que, por causa da polarização política, o MEC tenha decidido não entrar em questões de representatividade."

Viviani Xanthakos, do laboratório de redação do Objetivo, diz que nos anos anteriores as questões que inspiraram o tema da redação eram mais abrangentes, como a violência contra a as mulheres e a intolerância religiosa. Outra novidade apontada por Viviane é o fato de o tema da redação ser dos mais atuais, sempre em grande evidência no debate público e no noticiário.

TODOS OS TEMAS

Veja abaixo todos os temas de redação da história do Enem:

1998: Viver e aprender
1999: Cidadania e participação social
2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional
2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?
2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?
2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo
2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação
2005: O trabalho infantil na sociedade brasileira
2006: O poder de transformação da leitura
2007: O desafio de se conviver com as diferenças
2008: Como preservar a floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivo financeiros a proprietários que deixarem de desmatar; ou aumentar a fiscalização e aplicar multas a quem desmatar
2009: O indivíduo frente à ética nacional
2010: O trabalho na construção da dignidade humana

Programa ao vivo

O primeiro dia do Enem 2018 começou às 13h deste domingo (4). Às 18h30, o estúdio do G1 em São Paulo dará início a um programa em vídeo ao vivo com professores do Sistema COC de Ensino. Eles comentarão os níveis de dificuldade de cada uma das provas, o tema da redação e os pontos mais polêmicos que caíram no Enem.

Candidatos que fizeram a prova poderão participar do programa enviando perguntas usando a hashtag #G1Enem.

Resolução das questões

O G1 trará ainda a resolução das 90 questões de domingo preparadas pelos professores do COC. O gabarito oficial do Enem será divulgado pelo MEC em 14 de novembro.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO