Postagens

Mostrando postagens de Setembro 3, 2019

CNH não deve ficar mais barata com novas regras, dizem especialistas

Imagem
Menos aulas obrigatórias poderiam reduzir valor em cerca de R$ 300, mas avaliação é que autoescolas poderão compensar perdas com outros custos
Márcio Pinho, do R7
Uso de simulador para obtenção de CNH será facultativo
As novas regras para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) poderiam levar a uma redução de R$ 300 nos custos para obter o documento, segundo o governo federal, em razão da diminuição de aulas obrigatórias de 25 para 20. No entanto, especialistas em legislação de trânsito e no mercado de autoescolas avaliam que o preço não deverá mudar de forma significativa e que as empresas deverão incorporar essa redução aumentando o valor de outros serviços, como as aulas teóricas.
A redução das aulas obrigatórias é uma das medidas da Resolução nº 778 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada em junho, com o objetivo de reduzir a burocracia para tirar a CNH. A nova regra entra em vigor no dia 16 de setembro.
Um dos impactos seria a redução do custo médio de R$ 1.600, d…

Até Rodrigo Constantino pisa em Eduardo Bolsonaro

Imagem
Redação Pragmatismo
Possível futuro embaixador do Brasil nos EUA, Eduardo Bolsonaro conseguiu a proeza de ser pisoteado até por Rodrigo Constantino. Discussão agitou as redes sociais e terminou de maneira patética
(Imagem: Adriano Machado/Reuters)
Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que deve ser indicado por seu pai, o presidente da República Jair Bolsonaro, ao cargo de embaixador do Brasil nos EUA, protagonizou uma discussão calorosa no Twitter, neste fim de semana, com o economista e comentarista político Rodrigo Constantino, um dos fundadores do Instituto Millenium.
Embora seja apoiador do governo Bolsonaro, Rodrigo Constantino faz críticas discretas a algumas atuações da gestão bolsonarista — sobretudo quando a pauta está relacionada aos filhos do presidente.
A discussão começou no sábado (31), após Constantino postar que chamaria o presidente de ‘mito’ se ele mudasse o comportamento dele em relação a seus filhos.
“Se Bolso chamasse os filhos: 01, vc se meteu com Queiroz e é problema teu, vou v…

Economista explica qual postura Bolsonaro deve ter com aproximação entre China e Nordeste

Imagem
© REUTERS / Adriano Machado A despeito de Trump e Bolsonaro, os governos da região nordeste têm ampliado parceria com empresas chinesas. Para analisar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu um economista do Insper. O Mandarim está em voga no Nordeste. Entre as empresas que se aproximam dos estados da região, cresce o interesse das chinesas Hikvision, a ZTE, a Dahua, e também a Huawei - todas alvos de embargos dos Estados Unidos, que as consideram ameaças à segurança nacional. Para o presidente dos EUA, Donald Trump, a China é uma ameaça comercial e estratégica. A instalação de redes 5G - tecnologia dominada pela Huawei - tem sido tratada pelos EUA de forma hostil nos países membros da OTAN. No caso do Brasil, o vice-secretário assistente de Estado dos EUA para comunicações internacionais e cibernéticas, Robert Strayer, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo que Washington poderia repensar o compartilhamento de informações com o governo brasileiro caso as redes 5G chinesas sejam utilizadas. O e…

'Discussões no Sínodo têm viés político', afirma general Villas Bôas

Imagem
Assessor do GSI admitiu que o governo tem "preocupação" com os temas do Sínodo, a ser realizado no mês que vem
Agência Estado
Sínodo acontecerá no próximo mês Valter Campanato/Agência Brasil - 11.01.2019
Ex-comandante do Exército e atual assessor do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), o general Eduardo Villas Bôas disse ao jornal O Estado de S. Paulo que, ao "escapar" para questões ambientais, o Sínodo da Amazôniaadquiriu "viés político" — assista à reportagem do Jornal da Record abaixo. 
Villas Bôas admitiu que o governo tem "preocupação" com os temas do Sínodo, a ser realizado no mês que vem, em Roma, mas tentou amenizar o tom de confronto com a Igreja.
"Eles não são inimigos mas estão pautados por uma série de dados distorcidos, que não correspondem à realidade do que acontece na Amazônia", afirmou o general, em uma referência à carta escrita por bispos, que na semana passada se queixaram de serem tratados como "inimigos da Pá…

Governo vai corrigir valor do fundo eleitoral, que deve ser de R$ 1,86 bi

Imagem
Estadão/Broadcast teve acesso a documento mostrando que houve um erro no cálculo do fundo divulgado anteriormente
Camila Turtelli e Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo
BRASÍLIA - O Ministério da Economia vai fazer uma correção na previsão do fundo eleitoral que será usado para custear gastos de candidatos a prefeito e vereadores no ano que vem. O valor deve cair para R$ 1,86 bilhão, ante os R$ 2,5 bilhõesque foram divulgados na sexta-feira, na proposta orçamentária enviada ao Congresso.
A previsão divulgada representaria um aumento de 47% em relação ao que foi empenhado em 2018, de R$ 1,7 bilhão. No entanto, uma nota técnica produzida pelo partido Novo, a qual o Estadão/Broadcast teve acesso, afirma que houve um erro no cálculo do fundo, que é composto pelo dinheiro arrecadado pelo governo com o fim da propaganda partidária - extinta em 2017 - e de parte de emendas parlamentares de bancada.
Para exibir as peças publicitárias dos partidos, o governo concedia benefícios fiscais a emissor…

Pesquisa XP/Ipespe confirma queda na popularidade do governo Bolsonaro

Imagem
Governo Bolsonaro tem pior resultado desde início do governo: taxa de ruim/péssimo foi de 17% em fevereiro  para 41% atualmente
Por João Pedro Caleiro
Bolsonaro (Adriano Machado/Reuters)
São Paulo – Mais uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (02) confirma a deterioração na avaliação da população após oito meses da gestão de Jair Bolsonaro.
41% consideram o governo ruim ou péssimo enquanto 30% o consideram bom ou ótimo e 37% o avaliam como regular, de acordo com dados da XP/Ipespe.
A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 29 de agosto por meio de 1.000 entrevistas de abrangência nacional. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.
É o pior resultado para o governo desde que o levantamento começou. Em fevereiro, a curva estava invertida, com 40% de ótimo/bom e apenas 17% de ruim/péssimo.

Os dados são similares, considerada a margem de erro, aos de uma pesquisa Datafolha também divulgada hoje e que mostra reprovação de 38% e aprovação de 29%. A reação do presidente foi questionar a cr…