Com decisão do TSE, caminho fica livre para Fernando Bezerra Coelho disputar o governo



Chegou ao fim na noite de ontem a batalha jurídica travada entre o vice-governador Raul Henry e o senador Fernando Bezerra Coelho pelo comando estadual do MDB. A guerra de liminares foi interrompida com a decisão do ministro do TSE, Admar Gonzaga, que autorizou o MDB nacional a proferir o processo de dissolução, consolidando o que todo mundo já sabia, de que no fim das contas Fernando teria o comando do partido.

A estratégia de Jarbas e Raul foi inteligente, pois tentou fragilizar ao máximo a situação de Fernando nesta questão, uma vez que se já tivesse assumido o comando do partido no ano passado, o senador teria maior força para construir a sua pré-candidatura e alinhar o partido que é um dos mais fortes em termos de tempo de televisão e de fundo partidário para a disputa deste ano.

Porém, Jarbas e Raul apostavam em levar esta confusão até o dia 7 de abril, quando findará o prazo de filiação, o que evidentemente deixaria Fernando de mãos atadas para construir o partido. Como a situação tende a ser resolvida hoje no diretório do MDB, Fernando ganha 18 dias para convencer muita gente a se filiar ao partido, tanto candidatos a deputado estadual e federal como prefeitos, e não restará mais nenhuma dúvida quanto a sua postulação ao Palácio do Campo das Princesas.

Esses 18 dias conquistados por Fernando darão a musculatura necessária para que ele possa colocar o bloco na rua de forma mais consistente, e terá entre abril e agosto, as condições políticas para tentar atrair novos partidos, uma vez que suas articulações terão o combustível da caneta do governo federal. A decisão do TSE tem impacto direto na equação da eleição, uma vez que no meio do mandato de senador e com o MDB para chamar de seu, Fernando não tem qualquer motivo para ficar de fora da disputa pelo Palácio do Campo das Princesas, o que sempre foi o seu sonho desde que entrou na vida pública.

Fernando com o MDB em mãos demonstra força política, e evidencia que quem tem sorte puxa por ela, pois contrariou quase todos os prognósticos que davam a batalha como perdida, devido a situação da briga jurídica que vinha lhe dando sucessivos reveses na justiça estadual, mas que quando chegou em Brasília, a conta ficou ao seu favor. O jogo para Fernando não foi fácil, mas a jogada audaciosa e vitoriosa no caso do MDB faz com que a partir de agora os políticos passem a lhe observar com outros olhos.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Sefaz apreende mercadorias chinesas em Santa Cruz do Capibaribe, no Polo de Confecções do Agreste

MENDONÇA FILHO VOLTA A SER ESCRACHADO: ‘XÔ, GOLPISTA’

Suspeitos de assalto a banco são mortos em tiroteio com PMs no Sertão

DIDA DE NAN X JÉSSYCA CAVALCANTI. MAIS UM NÓ PARA EDSON VIEIRA DESATAR.

EDUARDO DA FONTE ARTICULA CANDIDATURA DE CLEITON BARBOZA PARA DEPUTADO ESTADUAL