Jefferson, Hang, Sara e Allan dos Santos são alvos de operação da PF


Corrupto confesso e novo aliado de Bolsonaro, Roberto Jefferson é alvo de operação da Polícia Federal. Também amanheceram com a polícia em suas casas o empresário Luciano Hang, o blogueiro disseminador de fake news Allan dos Santos e a ativista Sara Winter

Sara Winter, Allan dos Santos, Luciano Hang e Roberto Jefferson

A Polícia Federal cumpre na manhã desta quarta-feira (27) mais de vinte mandados de busca e apreensão no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura produção de notícias falsas e ameaças à Corte.

Entre os alvos estão o empresário Luciano Hang, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) o blogueiro disseminador de fake news Allan dos Santos e a ativista Sara Witer. Os quatro são aliados do presidente Jair Bolsonaro.

O principal foco da operação é um grupo suspeito de operar uma rede de divulgação de notícias falsas contra autoridades, além de quatro possíveis financiadores dessa equipe.

As ordens foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do caso, e estão sendo executadas no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. A investigação corre em sigilo.

Um dos principais alvos é o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e novo aliado do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com as investigações, o ex-parlamentar fez ameaças à democracia ao publicar uma foto com um fuzil “os traidores”.

Ex-aliado de Fernando Collor de Melo e um dos condenados no escândalo do mensalão, Jefferson preside um dos partidos do centrão e passou a defender efusivamente Bolsonaro nos últimos tempos.

O próprio presidente da República chegou a assistir e recomendar uma live em que Jefferson acusava o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de arquitetar um golpe parlamentar. Bolsonaro tem se articulado com siglas do centrão, distribuindo cargos a essas legendas em troca de apoio no Congresso.

Allan dos Santos é apoiador de Bolsonaro e editor do blog de notícias falsas ‘Terça Livre’. Ele prestou depoimento à CPMI das Fake News, no ano passado, e negou receber verba oficial do governo para manter a página. A mansão onde mora o blogueiro seria bancada por Eduardo Bolsonaro.

Já a ativista Sara Winter lidera um grupo denominado 300 do Brasil, que formaram um acampamento para treinar militantes dispostos a defender o governo Bolsonaro. Em entrevistas recentes, ela reconheceu que alguns de seus integrantes estão armados.

As investigações identificaram indícios de envolvimento do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, no esquema de notícias falsas. Carlos é apontado como o líder do ‘gabinete do ódio’.

O inquérito busca elementos que comprove sua ligação e sustente seu possível indiciamento ao fim das apurações. Outro filho de Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de SP, também é suspeito.

As buscas com relação a Jefferson e Hang foram realizadas nas casas deles, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, respectivamente. As buscas sobre Allan dos Santos ocorreram na casa dele, em uma área nobre de Brasília.

Nesta terça-feira (26), o governador Wilson Witzel (RJ) foi alvo de uma operação da Polícia Federal. Ao ser questionado sobre o episódio, Jair Bolsonaro sorriu. O presidente ainda não se manifestou a respeito da operação de hoje contra seus aliados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS