Postagens

Mostrando postagens de Março 6, 2019

Aposta de Gravataí, no Rio Grande do Sul, fatura R$ 78 milhões da Mega-Sena; confira os números

Imagem
Sorteio foi realizado nesta quarta-feira, em Itupeva, São Paulo
Estado de Minas
Mega-Sena pagou quase R$ 79 milhões para aposta  acertadora em Gravataí, no Rio Grande do Sul (foto: Reprodução/Caixa)
Um único bilhete foi o vencedor do sorteio 2131 da Mega-Sena, nesta quarta-feira, e o(a) apostador(a) vai embolsar o prêmio de R$ 78.938.208,62. A aposta foi feita em Gravataí, no Rio Grande do Sul.
Segundo a Caixa, os números sorteados no Caminhão da Sorte, em Itupeva, São Paulo, foram 02 - 03 - 06 - 18 - 20 - 28.
Ainda de acordo com a Caixa, 414 apostas acertaram cinco dezenas e faturaram a Quina, que pagará R$ 9.335,09. A Quadra saiu para 16.733 apostadores, que receberão R$ 329,94.
A estimativa de premiação para o próximo concurso (2132), que será realizado no sábado, é de R$ 3 milhões.

Juíza condena operador do PSDB a 145 anos de prisão, a mais alta pena da Lava Jato

Imagem
Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Federal de São Paulo, impôs a Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa, nova sentença, agora no processo por supostos desvios de R$ 7,7 mi; ele é acusado por peculato e associação criminosa
Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo Estadão
Paulo Vieira de Souza.  Foto: Evelson de Freitas/Estadão
Na mais alta pena da Operação Lava Jato, a juíza Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Criminal Federal de São Paulo, condenou o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza a 145 anos e oito meses de prisão nesta quarta-feira, 6, em ação sobre supostos desvios de R$ 7,7 milhões que deveriam ser aplicados na indenização de moradores impactados pelas obras do Rodoanel Sul e da ampliação da avenida Jacu Pêssego. Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, está preso desde 19 de fevereiro, capturado pela Lava Jato do Paraná, por suspeita de lavagem de dinheiro.
Documento SENTENÇA PDF
A psicóloga Tatiana Arana de Souza Cremonini, filha de Vieira de Souza, peg…

Políticos de oposição comemoram vitória da Mangueira

Imagem
Enredo contou a história do Brasil do ponto de vista dos negros, mulheres e índios. Vereadora Marielle Franco foi homenageada
CELSO PUPO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
LUCIANA LIMA
Metrópoles

A consagração da Estação Primeira de Mangueira como grande campeã do Carnaval carioca em 2019 foi comemorada por políticos de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). A escola trouxe um enredo altamente politizado, recontando a história do Brasil sob o ponto de vista dos que sempre estiveram do lado mais fraco no poder: negros, mulheres e índios.
No desfile, muitas críticas à ditadura militar e à opressão das populações mais vulneráveis do país. Um dos pontos altos foi a homenagem à vereadora do PSol Marielle Franco, assassinada em março do ano passado, com sua viúva, Mônica Benício, desfilando à frente da ala dedicada à memória de Marielle.

A escola denunciou o genocídio dos povos indígenas, a escravidão e o feminicídio CELSO PUPO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
A Mangueira foi a s…