ADEUS DONA BERNADETE. DESCANSE EM PAZ.

DONA BERNADETE E SEU FILHO  VEREADOR CARLINHOS DA COHAB

Beta, como era mais conhecida, faleceu neste domingo (19). Seu corpo está sendo velado na residência do seu filho Carlinhos, na Vila da Cohab.

O sepultamento será as 16:00 h desta segunda-feira, no Cemitério São Judas Tadeu (Cemitério Velho) em Santa Cruz do Capibaribe.

O Vaso de Alabastro, por Dario Gomes

DARIO GOMES*
Sempre que temos algo de muito valor também reservamos um lugar especial para o guardar. O local da guarda e o objeto guardado se misturam e um dá valor ao outro.

Não se coloca perfume bom e de alto preço em qualquer vaso. E não se usa um vaso tão caro para se colocar qualquer perfume.

Por vezes ouço testemunho de pessoas que, para contar o magnífico propósito de Deus em suas vidas, colocam-se no mais baixo grau, querendo engrandecer a Majestade Santa, acabam por fazem de si, coisa imprestável e sem valor algum. A bem da verdade, conscientes somos que, tudo que somos ou temos, Dele temos recebido, e sem Ele nada podemos fazer. Somos dependentes Dele em tudo porque Ele é tudo em nosso viver. Mas Ele nos deu um valor incalculável quando nos comprou por tão alto preço.

Se olhamos para os vasos, vemos que há uma diversidade deles, a bíblia diz que existem vasos de honra e vasos de desonra, vasos da ira, vasos de misericórdia e feitos com os mais diversos materiais: madeira, barro, ferro, porcelana, cobre, prata, ouro, marfim.

Romanos 9:21 - Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

II Timóteo 2:20-21 - Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.

Quando uma mulher, no jantar em Betânia, quis dar algo a Jesus, ela juntou suas economias e comprou unguento de nardo puro que era vendido em vasos de alabastro. 

Mateus 26:7 - Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com unguento de grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa.

Porque vaso de alabastro? Os antigos consideravam o alabastro (espécie de mármore branquíssimo –
carbonato de cálcio), como o melhor material para conservar os seus unguentos. E por causa disso o valor do vaso também era alto, quem a via passar com um vaso de alabastro nas mãos, sabia que dentro dele havia um perfume de muito alto valor, pois não é comum colocar coisas valorosas em qualquer vaso. Da mesma forma, Deus nos valorizou para poder colocar em nós um tesouro sobre excelente, embora sejamos de barro.

Muitas vezes nos encantamos com a embalagem, e esta até impressiona, sobretudo o que dará força a esse valor é o seu conteúdo, não adianta estarmos de paletó e gravata e estarmos apodrecidos por dentro. Lembre-se: o exterior não muda o interior porem o interior muda todo exterior.

O vaso tem um valor inestimável, porém seu valor só faz sentido, se o que for colocado dentro dele, o dignificar.

O que faz a diferença entre um vaso de honra para outro em desonra, é a finalidade para o qual ele for usado, se o que estiver dentro dele servir para a glória de Deus. Temos, porém este tesouro em vasos de barro para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. (II Coríntios 4:07)

A bíblia diz que a boca fala daquilo que está cheio o coração. Um vaso cheio de Deus glorificará a Deus com suas atitudes. Ou você é um vaso de honra ou não é. Mas quem não quer ser vaso? Aquele vaso que a mulher trouxe, só expor o que dentro tinha, após ser quebrado. Muitos de nós queremos ser vasos, mas se por algum motivo nos vermos prejudicados, o que sai de dentro é de clamar por misericórdia.

O vaso de alabastro teve que ser quebrado, ele foi desfeito, ele se acabou, mas o que saiu de dentro deixou um perfume tão bom que, desde aquele tempo até hoje, só se fala no unguento que ele comportava e por causa do unguento o vaso teve seu valor multiplicado. Hoje é impossível falar no episódio sem nos lembrarmos do vaso de alabastro.

Deus nos fez como vasos de alabastro e colocou um tesouro dentro de nós, e quanto mais quebrado formos mais perfume sairá de nós, o perfume da fé, do respeito, da convicção, do amor, o bom perfume de Cristo. 

II Coríntios 2:15 - Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.

Um abraço e até a próxima, se Deus permitir.

*Dario Gomes de Araujo é Evangelista da Igreja Assembleia de Deus e atualmente é gestor na cidade de São José do Egito

Distantes no plano nacional e unidos no Estado

Por Márcio Didier
Editor do Blog da Folha



Ministros do governo Temer marcaram presença no São João da Macambira, em Caruaru (Foto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco)

Durante os oito anos da gestão no Estado, o então governador Eduardo Campos conseguiu a convivência respeitosa, sob o mesmo sombreiro e em determinados momentos, de siglas como DEM e PP e PCdoB e PT. Um equilibrista no circo de letras na fauna política do Estado.

Involuntariamente, o movimento do governador Paulo Câmara de expurgar alguns empecilhos ao projeto do PSB no Recife, como a retirada do Governo do DEM e PSDB, provocou, guardadas as proporções e o momento político, efeitos similares na noite desta sexta-feira (17).

O São João da Macambira, promovido pelo ex-governador João Lyra, pai da pré-candidata do PSDB à Prefeitura de Caruaru, Raquel Lyra, uniu os desunidos no plano nacional. Mostrou a fatura de uma coligação ampla em excesso e o quanto o pote cheio de mágoas na política está (pronto) a transbordar. Mostrou, enfim, uma oposição unida no plano estadual.


Pré-candidatas no Recife, Priscila Krause, em Caruaru, Raquel Lyra, e em Olinda, Isabel Urquisa, durante o evento (Foto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco)

“Tem muito golpista nesta festa”, disparou um aliado da presidente Dilma Rousseff, ao constatar que três ministros do governo interino de Michel Temer, todos os tucanos de alta plumagem e os poucos representantes democratas do Estado marcavam presença.

Diferentemente do ano passado, quando o governador Paulo Câmara e toda o seu entourage estavam presentes, poucos socialistas marcaram presença no evento. Apenas um dos vice-presidentes da sigla, Luciano Vasquez, muito ligado a João Lyra, o primeiro secretário da Alepe, Diogo Moraes, companheiro de Parlamento de Raquel; e Antônio Campos, que tem faixa própria no PSB. Fora isso, mais ninguém. A massa socialista marcava ponto a 135 quilômetros dali, no Forró dos Namorados do prefeito Geraldo Julio.


Titular da pasta de Cultura, Marcelo Calero marcou presença no evento 
(Foto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco)

Na Macambira, que reuniu um público bem maior do que o ano anterior, estavam os ministros Mendonça Filho (Educação), Bruno Araújo (Cidades), que passaram um bom tempo conversando no estacionamento, e o titular de Cultura, Marcelo Calero, que foi devidamente apresentado por assessores de Mendonça às comidas de milho. Conheceu, mas não provou nada da mesa repleta de gordices juninas.


Ministros, Bruno Araújo e Mendonça Filho conversaram reservadamente 
(Foto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco)

Além deles, o ex-ministro Armando Monteiro Neto, que chegou com toda a cúpula dilmista do PTB, PTdoB (Silvio Costa) e PRB (Silvio Costa Filho).

Todos juntos. Todos tramando, no melhor sentido da palavra, as perspectivas para a disputa de outubro. Não desdenharam da ausência do governador Paulo Câmara. Apenas não comentaram.

Preferiram os cálculos matemáticos sobre quem é mais forte no Recife, qual a dupla que irá para o inédito segundo turno em Caruaru (Tony Gel e Raquel Lyra estavam disparados na bolsa de apostas) e quantos prefeitos cada um dos partidos fará. Simples assim, como se vivessem num Estado paralelo, o da oposição em Pernambuco, sem o jugo do PSB.

Mesa Diretora propõe não reajustar salários de vereadores em Santa Cruz do Capibaribe

No que depender da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, os parlamentares da cidade não terão seus subsídios reajustados. A justificativa do Projeto se dá em decorrência da crise que assola o País e, pelo bom senso dos vereadores que compõem a Mesa Diretora, Professor Afrânio Marques (Presidente), Ronaldo Pacas (1º Secretário) e Zé Minhoca (2º Secretário), é que o Projeto está sendo proposto.

“Nós estamos propondo esse projeto, a fim de que não aumentemos o nosso salário, nem do Prefeito, vice-prefeito ou secretários, pois temos noção do quão grandiosa é a crise. Por isso, nós propusemos este Projeto, o qual já tramita pelas Comissões de pelas Comissões de Legislação e Justiça e Finanças e Orçamento, e após passar pelas comissões, levaremos para votação em plenário. Eu, enquanto presidente, sou contra aumentos, sobretudo, nessa atual conjuntura pela qual passa o cenário econômico nacional”, afirma o presidente da Câmara, professor Afrânio.

Paulo Câmara: "As pessoas sabem o que é melhor para Pernambuco"

Durante caminhada em Limoeiro, candidato à reeleição foi recebido com muito entusiasmo pela população, que se mostrou fechada com a Frente ...

POSTAGENS MAIS ACESSADAS