Olavo de Carvalho critica Jair Bolsonaro e joga a toalha: "É tarde para reagir"


Indignação dos brasileiros após o presidente debochar da pandemia do coronavírus no país fez com que até Olavo de Carvalho passe a desacreditar na continuidade do governo. "Bolsonaro fez o oposto do que aconselhei e agora talvez seja tarde para reagir"



Olavo de Carvalho, guru ideológico do presidente e dos seus filhos, se manifestou nas redes sociais na noite desta quarta-feira (18) após os panelaços que foram ouvidos em todo o Brasil, inclusive em bairros de classe média alta.

“Desde o início do seu mandato, aconselhei ao presidente que desarmasse os seus inimigos antes de tentar resolver qualquer ‘problema nacional’. Ele fez exatamente o oposto”, publicou Olavo.

“Deu ouvidos a generais isentistas, dando tempo a que os inimigos se fortalecessem enquanto ele se desgastava em lacrações teatrais. Lamento. Agora talvez seja tarde para reagir”, continuou o escritor.

Para o escritor, Bolsonaro não enfraqueceu os seus inimigos e ainda adaptou-se ao sistema, o que pode ser um suicídio político.

“Que é que o Bolsonaro fez contra qualquer dos seus inimigos? Nada. Nada nunca. Só lhes deu umas agulhadinhas, irritando-os em vez de enfraquecê-los. Eleito para derrubar o sistema, o Bolsonaro, aconselhado por generais e políticos medrosos, preferiu adaptar-se a ele. Suicídio”, completou.

Deboche com o coronavírus

O descaso de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia do coronavírus no Brasil causou perplexidade nacional nos últimos dias. A pandemia já foi classificada pelo presidente como “fantasia”, “histeria” e “exagero”.

Enquanto a OMS e o próprio Ministério da Saúde recomendavam o caminho do ‘isolamento’ e do cuidado, Bolsonaro incentivou manifestações públicas e chegou a participar delas, cumprimentando simpatizantes com as mãos e tirando fotos.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (18), o presidente disse que seu governo “está ganhando” a luta contra o coronavírus e cobrou elogios a ele mesmo na imprensa.

Segundo o presidente, “se o time ganha, parabéns a todos”. “Se o time perde, o primeiro a ser demitido é o técnico. O nosso time está ganhando. Se o time está ganhando, vamos elogiar o seu técnico, o seu técnico chama-se Jair Bolsonaro.”

Nas redes sociais, circula um breve vídeo que escancara a diferença, no enfrentamento ao coronavírus, entre chefes de nações e o homem que usa a faixa presidencial no Brasil:
Um vídeo do humorista Marcelo Adnet também viralizou:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS