Enfim, torcidas organizadas serão extintas em Pernambuco

Raphael Guerra
JC OnLine

Confusões provocadas pelas torcidas levam medo à população. 
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Responsáveis por provocar confusões generalizadas e causar medo nas ruas, as torcidas organizadas serão extintas em Pernambuco. A decisão foi tomada, em consenso, durante uma reunião, a portas fechadas, na tarde dessa terça-feira (11). Participaram do encontro o procurador-geral de Justiça do Estado, Francisco Dirceu Barros, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, e o promotor do Torcedor, José Bispo de Melo.

“Há um clamor social na extinção das torcidas organizadas. Precisamos fazer um trabalho em que o torcedor possa levar sua família ao estádio sem qualquer perigo maior de violência. O Ministério Público fará um estudo dentro do Estatuto do Torcedor, em conformidade com o que seja possível dentro da lei, para que seja possível extinguir as torcidas organizadas”, afirmou Melo.

A reunião aconteceu oito dias após membros da Torcida Jovem, do Sport, provocarem tumulto no Largo de Santa Cruz, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, onde acontecia uma comemoração dos 106 anos de fundação do Santa Cruz. Houve correria e várias pessoas ficaram feridas no local. A Polícia Civil está investigando o caso.

Festa de aniversário do Santa Cruz acabou em confusão na semana passada. 
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, disse que a atuação junto ao MPPE viabilizará o combate à violência dentro e fora dos estádios. “O Estatuto do Torcedor, por exemplo, determina que a prevenção da violência nos esportes compete não apenas ao poder público, mas também a confederações, federações, clubes, associações ou entidades esportivas, inclusive de seus respectivos dirigentes, bem como daqueles que, de qualquer forma, promovem, organizam, coordenam ou participam dos eventos esportivos.”

“Há um consenso de que as torcidas organizadas, em Pernambuco, são uma tragédia pré-anunciada. Resta-nos responder uma pergunta: nós vamos tomar providências quando houver uma tragédia ou podemos agir por prevenção? O problema é complexo e a solução envolve atitudes de várias instituições, neste sentido, afirmo que o Ministério Público de Pernambuco tomará todas providências legais cabíveis”, declarou o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS