Oposição no Congresso pressiona por depoimento de Bebianno

Como justificativa para convocação de Gustavo Bebianno, partidos citam suposto desvio de recursos do Fundo Partidário do PSL nas eleições

Pedro Venceslau e Renan Truffi
TERRA

BRASÍLIA - Os partidos de oposição na Câmara pressionam o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a colocar em pauta no plenário um pedido de convocação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno (PSL). Como justificativa para a convocação do ministro, citam o suposto desvio de recursos do Fundo Partidário do PSL nas eleições de outubro.

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP)- Foto: Divulgação / Estadão Conteúdo

Dois pedidos já foram protocolados: um pelo líder da bancada do PSOL, Ivan Valente (RJ), e outro pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS). O objetivo dos deputados é se reunir na próxima terça-feira com Maia para tratar do assunto.

Na semana que vem, a oposição vai definir outras linhas de atuação para manter acesa a crise no governo. "O episódio é gravíssimo e a crise muito mais profunda do que a denúncia de crime eleitoral. Esse governo está em uma crise permanente", disse a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da minoria.

No Senado, o líder da oposição, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que os partidos também vão tentar convocar Bebianno, para dar explicações.

A crise envolvendo o ministro movimentou ainda as redes sociais. Pelo Twitter, parlamentares cobraram resposta rápida do governo. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) disse ver três desfechos para a crise. "Se Bebianno ficar no governo, Bolsonaro terá um ministro que mente, segundo admitiu. Se sair, o ministro aceita que mentiu. Se for 'saído', quem preside é o filho caçula", escreveu, em referência a Carlos Bolsonaro - que, na verdade, é o filho "número dois" do presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara