41 a 16: veja como votou cada senador no aumento do STF

Por 41 votos a 16, senadores aprovaram aumento de salário para ministros do STF. Impacto anual nas contas públicas pode ultrapassar os R$ 5 bilhões. Veja como votou cada senador


Nesta quarta-feira (7), o Senado Federal aprovou o polêmico aumento de salário para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e Procurador-Geral da República (PGR).

Foram 41 votos favoráveis ao aumento e apenas 16 contrários. Segundo estimativa da Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle do Senado, o impacto do aumento será de pelo menos R$ 5,3 bilhões anuais no orçamento da União, levando-se em conta o “efeito cascata”.

Os ministros do Supremo, que hoje ganham R$ 33,7 mil por mês, passarão a receber R$ 39,2 mil. O efeito cascata terá desdobramentos na remuneração de outros órgãos da administração pública federal e estaduais.

Teto salarial do funcionalismo público, o aumento nos rendimentos de ministros do STF provocará um efeito-cascata nas contas públicas já a partir de 2019, quando a matéria passa a vigorar e o próximo governo ainda encontrará um deficit fiscal que se aproxima de R$ 200 bilhões.

Com o limite remuneratório elevado, consequentemente fica permitido por lei o aumento do número de servidores públicos a ser beneficiados com auxílios, gratificações e verbas extras que, somadas ao salário, podem ultrapassam o teto.

COMO VOTOU CADA SENADOR:

Contra o aumento:

PT (3)
José Pimentel (PT-CE)
Fátima Bezerra (PT-RN)
Regina Sousa (PT-PI)

DEM (3)
Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
Ronaldo Caiado (DEM-GO)
Wilder Morais (DEM-GO)

MDB (2)
Roberto Requião (MDB-PR)
Airton Sandoval (MDB-SP)

PSB (2)
Lídice da Mata (PSB-BA)
Lúcia Vânia (PSB-GO)

Outros partidos
Cristóvam Buarque (PPS-DF)
Givago Tenório (PP-AL)
Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Reguffe (Sem partido-DF)
Ricardo Ferraço (PSDB-ES)
Vanessa Graziottin (PCdoB-AM)

A favor do aumento:

PSDB (10)
Aécio Neves (PSDB-MG)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Dalirio Beber (PSDB-SC)
Eduardo Amorim (PSDB-SE)
José Serra (PSDB-SP)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Roberto Rocha (PSDB-MA)
Tasso Jereissati (PSDB-CE)

MDB (8)
Edison Lobão (MDB-MA)
Eduardo Braga (MDB-AM)
Fernando Coelho (MDB-PE)
Garibaldi Alves Filho (MDB-RN)
Renan Calheiros (MDB-AL)
Romero Jucá (MDB-RR)
Valdir Raupp (MDB-RO)
Zeze Perrella (MDB-MG)

PSD (3)
Otto Alencar (PSD-BA)
Raimundo Lira (PSD-PB)
Sérgio Petecão (PSD-AC)

Podemos (3)
José Amauri (PODE-PI)
José Medeiros (PODE-MT)
Rose de Freitas (PODE-ES)

PR (3)
Cidinho Santos (PR-MT)
Vicentinho Alves (PR-TO)
Wellington Fagundes (PR-MT)

DEM (2)
Davi Alcolumbre (DEM-AP)
José Agripino (DEM-RN)

PTB (2)
Armando Monteiro (PTB-PE)
Telmário Mota (PTB-RR)

PT (2)
Jorge Viana (PT-AC)
Paulo Rocha (PT-PA)

PDT (2)
Acir Gurgacz (PDT-RO)
Ângela Portela (PDT-RR)

PP (2)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Ivo Cassol (PP-RO)

Outros partidos
Antônio Valadares (PSB-SE)
Eduardo Lopes (PRB-RJ)
Hélio José (PROS-DF)
Walter Pinheiro (Sem partido-BA)

Abstenção:
José Maranhão (MDB-PB)

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO