Emoções, por Dário Gomes*

Como vão as tuas emoções?

Você é do tipo que consegue tomar decisões em qualquer situação?

Quando uma pessoa tem forte temperamento, alguém diz: Fulano é muito emotivo. Isso implica dizer que esse “fulano” é levado pelas emoções. E essa posição pode ser prejudicial, se não for trabalhada.

A emoção influencia sim, em nossas decisões, desde que não tenhamos domínio sobre ela, ou seja, se não tivermos autocontrole.

As emoções fazem parte de nosso ser, podemos estar tristes ou alegres, motivados ou desmotivados, negativos ou positivos. Se nos deixarmos influenciar por elas, poderemos tomar posições bem diferentes daquelas que tomaríamos se estivéssemos em um estado de calmaria, mas também creio que é nesse momento que se descobrem as capacidades de cada um. Ao sermos testados em nossas emoções, mostramos a nossa capacidade de controlarmos o nosso próprio ser emocional, superamos as críticas, vencemos as dificuldades apresentadas e temos um raciocínio lógico em meio às adversidades.

O autocontrole ou o controle sobre nossas emoções é de fundamental importância para o desenvolvimento de nossas atividades como negociador, por vezes seremos elogiados ou criticados, e é necessário equilíbrio para podermos lidar com essas situações. Se o ambiente está contaminado com um “mal estar” como o de uma desmotivação, é preciso que tenhamos controle para não nos deixarmos levar por esse mesmo clima. Creio que se reagirmos contra esses sentimentos, com certeza,  teremos melhor posição diante da situação para uma  tomada de decisão.

“Se o ambiente está desmotivador é preciso que eu controle a forma como eu ajo para não me deixar contaminar. Preciso focar no que posso fazer agora, sem sofrer por antecipação. Quanto mais reclamo ou discuto algo que não está ao meu alcance mais aumenta o sentimento negativo”.  Rubens Pimentel,   citado no artigo “Inteligência Emocional”, Revista Você S/A, p 26.

A revista “Você S/A” apresenta:  “8 sinais de que você tem competência emocional”

1.Pensar positivo: Saber que a vida é um ciclo interminável de altos e baixos e se concentrar apenas no que pode resolver.

2.Vocabulário emocional: Capacidade de descrever corretamente o que está sentindo, e não apenas categorizar os sentimentos em bons ou ruins.

3.Ser assertivo: Equilibrar boas maneiras, empatia e bondade com a capacidade de se afirmar e estabelecer limites.

4.Curiosidades sobre as pessoas: Ser empático preocupando-se e tendo interesse  em entender a realidade dos outros.

5.Perdoar, mas não esquecer: Entender que guardar rancor é um sentimento negativo e perdoar os erros cometidos embora isso não queira dizer que dará sempre uma segunda chance.

6.Não se abater: Não se deixar influenciar facilmente pelo julgamento alheio e, por isso não balizar seus méritos de acordo com parâmetros dos outros.

7.Sem se ofender: Ter autoconfiança alta, sendo mais resistente a críticas ou ofensas.

8.Se divertir: Saber quais atividades dão prazer e entender a importância de realizá-las regularmente.

Deixar-se dominar pela emoção é viver em função da situação, controlar a emoção é dominar a situação, tomar as rédeas da vida e pisar firme quando o terreno é movediço.

Um abraço e até a próxima, se Deus permitir.

Fonte: Revista Você S/A, Editora Caras, agosto de 2016, p26.

*Dário Gomes de Araújo é Evangelista na Igreja Evangélica Assembleia de Deus e atual gestor na cidade de São José do Egito .

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

SETE GOVERNADORES ENCARAM TEMER E DIZEM NÃO A PEDRO PARENTE

MENDONÇA FILHO VOLTA A SER ESCRACHADO: ‘XÔ, GOLPISTA’

O Estádio Arizão se "veste" para receber o São João da Moda 2018

ACUADO, TEMER CEDE AOS CAMINHONEIROS E DESFAZ POLÍTICA DE PARENTE, QUE PODE CAIR