EM ATO NO RECIFE, MILITÂNCIA DEFENDE PRÉ-CANDIDATURA DE MARÍLIA ARRAES

Milhares de pessoas compareceram ao ato, que reuniu representantes de todas as regiões do Estado, além de nomes nacionais 


Cerca de 4 mil pessoas, vindas de mais de 70 municípios de Pernambuco, participaram, no final da manhã de hoje do ato em defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do direito de ele ser candidato à Presidência da República, e em apoio à pré-candidatura da vereadora Marília Arraes para as eleições ao Governo do Estado. O evento aconteceu no Clube Internacional do Recife, na região central da cidade, e reuniu sindicalistas, parlamentares, lideranças populares e políticas, artistas, militantes das mais variadas áreas e simpatizantes. 

Durante cerca de três horas, dezenas de oradores - que se revezaram no palco - fizeram questão de externar o desejo pela oficialização do nome de Marília para a disputa nas eleições majoritárias do próximo mês de outubro. As declarações em defesa da candidatura própria e do nome da vereadora para encabeçar o desafio foram recebidas com muita animação e aplausos pelos presentes. 

O secretário nacional de Cultura do PT, o gaúcho Márcio Tavares, foi um dos que enfatizou o “desejo” de setores com inserção nacional do partido de que o PT pernambucano formalize a pré-candidatura de Marília. “Faço parte da Avante e nossa tendência está fechada, nacionalmente, com o nome de Marília aqui em Pernambuco, assim como o da senadora Fátima Bezerra na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte. Essa eleição é a nossa chance de resgatar a democracia no País e a aliança que temos que defender é a aliança com o povo brasileiro. 


O coordenador nacional do MST, Jaime Amorim, lembrou a necessidade de reverter os prejuízos sociais provocados pelo golpe que culminou com o impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff e a perseguição e prisão do ex-presidente Lula, em Pernambuco e no Brasil. “A classe trabalhadora tem a consciência do que representou o golpe e toda essa desastrosa política de retirada de direitos e conquistas. Por isso temos o compromisso de manter viva uma luta implacável em favor da democracia. Aqui em Pernambuco, estamos construindo um projeto que vem sendo consolidado em torno do nome de Marília Arraes de forma democrática. E isso nasceu não foi de reuniões fechadas ou acordos. Isso nasceu do povo. Marília é a alternativa que Pernambuco tem de combater as forças retrógradas que hoje comandam o Estado”, destacou. 

O ex-deputado Fernando Ferro (PT) destacou o debate que vem sendo promovido por Marília e pelos grupos internos que apoiam seu nome, com todas as demais alas da legenda. “Esse que está aqui, hoje, reunido, é o PT que dialoga, que debate com todos os que fazem parte deste partido. A conjuntura nacional é muito difícil, mas é exatamente com mobilização, compromisso, debate e respeito que vamos seguir com esse projeto, que tem Marília como protagonista”, afirmou. 

O presidente da CUT-PE, Carlos Veras, lembrou a importância de reflexão em torno da candidatura própria. “No próximo dia 10 de junho, os delegados do PT irão votar para definir se o partido terá, ou não, candidatura própria ao Governo do Estado. Também será o momento e escolha do nome que irá encabeçar esse projeto. Cada um desses delegados tem a obrigação de fazer uma reflexão sobre o que é melhor para Pernambuco. Não pode ser um debate focado em questões pequenas, egoístas. Não é o que é melhor para uma tendência, um grupo. Tem que ser o que é melhor para o Estado, para o partido, para nosso povo”, comentou. 

O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), foi taxativo ao afirmar o apoio em defesa do nome de Marília, como candidata ao Governo do Estado. “Hoje, o PT tem a oportunidade de resgatar o protagonismo em Pernambuco. E é do nome de Marília Arraes que estamos falando. Não há como não atrelar esse projeto a defesa da democracia e do projeto de levar de volta Lula à Presidência da República”, afirmou.


A deputada estadual Teresa Leitão (PT) emocionou os presentes em sua fala. “Eu queria repetir aqui o recado que Lula nos deu no último dia 9 de maio, quando estivemos com ele pouco antes de sua prisão arbitrária. Lula mandou a gente continuar defendo sua inocência e seu direito de disputar à Presidência e deixou bem claro que o maior patrimônio do partido dos trabalhadores é a sua militância e é essa militância que está fazendo o partido sair de sua bolha e que já deixou claro que quer a candidatura própria e que quer Marília disputando as eleições para o Governo do Estado. Aqui, nesta plenária, tem petistas de carteirinha, tem simpatizante, tem gente que estava afastada, que não ia mais para nenhuma atividade política, mas que agora se reaproximou porque sente que vivemos um novo momento e que é preciso força e união para resgatar a democracia”, falou. 

Em sua fala, a vereadora do Recife e pré-candidata ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes reafirmou a importância da candidatura própria do PT nas eleições majoritárias. “Em Pernambuco temos dois palanques que apoiam Temer e que articularam o golpe junto a ele, mas que por oportunismo, agora, fingem que nada aconteceu. E existe um palanque que vai fazer a defesa do presidente Lula e o resgate dos direitos e conquistas que nos foram usurpados. Esse é o nosso palanque. E por isso é tão importante garantir esse espaço. O PT voltou às bases, olhando para cada um e cada uma que ajudou a construir esta história. E como podemos defender uma aliança que não seja com o povo? Como não respeitar a vontade dessas mesmas bases de ter de volta o PT como protagonista do lado certo da história? Nós não estamos de brincadeira não! O futuro de Pernambuco não se constrói dentro de um gabinete e nós sabemos disso. Vamos à luta!”, concluiu. 

Da Assessoria de Comunicação
Crédito das Fotos: Arthur Marrocos

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO