GOVERNADORES DIZEM QUE MORO DESCUMPRE LEI AO IMPEDIR VISITA A LULA


Nove governadores estão nesta terça-feira 10 em Curitiba para visitar o ex-presidente Lula na Polícia Federal, onde está preso, mas foram impedidos pelo juiz Sergio Moro; "Entre as regras da carceragem e a Lei de Execução Penal, todos sabem que a lei tem primazia. O artigo 41 da Lei de Execução Penal diz que advogados, parentes e amigos têm direito de visitar um preso. Eu fui juiz federal por 12 anos, e inclusive fui juiz de execução penal", destacou o governador do Maranhão, Flávio Dino; os governadores e três senadores fizeram uma carta assinada para Lula e pediram audiência com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia; assista à coletiva

247 - Governadores de nove estados foram nesta terça-feira 10 a Curitiba para visitar o ex-presidente Lula na carceragem da Polícia Federal, onde está preso, mas foram impedidos por Sergio Moro, que determinou apenas uma visita por semana a Lula, além de advogados. Moro alegou não permitir "privilégios" a Lula e por isso impediu a vista também dos governadores e de três senadores. Os chefes de Executivos estaduais se reuniram com integrantes da PF.

"Para nós privilégio é aquilo que não está na lei, e isso está na lei", disseram o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR). 

Os governadores e três senadores também presentes fizeram uma carta assinada para Lula e pediram audiência com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, para tratar do tema. "Estivemos aqui e sempre estaremos ao seu lado, firmes na luta", escreveram os governadores na carta, que deve ser entregue a Lula, conforme comprometimento da Superintendência da PF.

Trata-se de "mais um gesto de descumprimento da lei", ressaltou Dino. "Essa foi apenas mais uma violação" contra o ex-presidente, completou. "Estamos consignando para a comunidade jurídica brasileira e internacional e para a sociedade que a Constituição e a lei estão sendo claramente descumpridas", afirmou. "Estamos indignados que isso seja considerado regalia. É verdade que a lei é para todos e estamos aqui em nome da lei, ninguém está acima da lei", disse ainda.

"Entre as regras da carceragem e a Lei de Execução Penal, todos sabem que a lei tem primazia. O artigo 41 da Lei de Execução Penal diz que advogados, parentes e amigos têm direito de visitar um preso. Eu fui juiz federal por 12 anos, e inclusive fui juiz de execução penal. E nós estamos diante de uma situação absolutamente atípica, esdrúxula, uma vez que só haveria sentido nesse indeferimento se houvesse algum risco aos presos, ou da integridade física, ou mesmo à ordem pública", explicou ainda o governador.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara