O salário do trabalhador

Ai dos que não dão o salário do trabalhador

Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça, e os seus aposentos sem direito, que se serve do serviço do seu próximo sem remunerá-lo, e não lhe dá o salário do seu trabalho. Jeremias 22:13.

O significado da palavra "ai", na Bíblia, está ligado a lamentação, dor, pesar e também pode ter conotação de condenação ou juízo. (http://biblia.com.br/perguntas-biblicas/palavras/gostaria-de-saber-o-que-significa-a-palavra-ais-na-biblia/).

Dentre tantos ais que encontramos na bíblia eu achei este bem interessante. Como é impressionante Deus, através de sua Palavra, advertir a que se não negue o salário devido ao trabalhador, e Deus adverte com um “ai”.

Isso implica dizer que os que assim fazem, poderão incorrer ao juízo divino, ou seja, Deus há de cobrar de quem assim o faz.

Deixando de lado as muitas faltas ou falhas que possa existir na classe trabalhista, e olhando num prisma de injustiça da parte do empregador para com o trabalhador, podemos perceber o porquê de haver tamanha advertência para com os que assim incorrem. A palavra de Deus diz que o trabalhador é digno de seu salário. (I Timoteo 5:18)

Nos dias atuais o empregado ou funcionário é conhecido como colaborador, ou seja, ele é participante do crescimento da organização, é um cliente interno, e ninguém mais que ele para dar boas impressões e elogiar a empresa na qual ele ganha o seu sustento.

Para muitos que não entendem o valor de um colaborador, ainda os taxam de “empregados” ou “funcionários” para dar a entender que estes estão subordinados a aqueles. Mas um colaborador é mais do que um executor de tarefas, é alguém em potencial, embora muitos não passem de meros empregados, há aqueles que são excelentes colaboradores e merecem ser remunerados.

Se há sonegação do sustento, o colaborador não supre suas necessidades e de suas famílias, perde o ânimo e já não produz como desejava produzir , e acaba não vendo perspectiva alguma de crescimento, nem financeiro, tampouco de cargos e na primeira oportunidade procura um local melhor e se tiver oportunidade, não pensará duas vezes em partir para outra empresa.

Então alguém que nega o sustento de um colaborador comete um grande erro e estará também sujeito às punições previstas por Deus: Ai dos que não pagam o sustento do trabalhador. 

O assunto nos faz lembrar de um caso acontecido com um usineiro de nosso estado que, por causa de um feriado, não haveria pagamento de salários na sexta feira e o mesmo seria pago na segunda feira, porém o usineiro ordenou que, mesmo sendo feriado, fossem buscar o referido pagamento na capital e que no mesmo dia fossem efetuados todos os pagamentos, porque dizia ele: Como eles virão trabalhar com fome e como produzirão? 

A preocupação do usineiro era que, estando os colaboradores satisfeitos, certamente produziriam melhor, ao passo que, insatisfeitos, o prejuízo seria iminente.

Se quisermos ter bons colaboradores então façamos jus aos seus interesses. Lembre-se que a primeira propaganda começa dentro de casa, onde os colaboradores não só falarão bem dos produtos como também serão possíveis consumidores dos mesmos, o colaborador é o primeiro cliente.

Um abraço e até a próxima, se Deus permitir.

*Dário Gomes de Araujo é Evangelista e atual gestor da Assembleia de Deus em São José do Egito.

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Obras da PE-160 seguem em ritmo acelerado

CARLINHOS DA COHAB: "Sou um soldado do grupo e pronto para defender a candidatura de Zé e pedir voto pra ele"

Corpo de Guilherme Uchoa é velado na Assembleia Legislativa de PE

MORO DESOBEDECE TRF-4 E NÃO SOLTA LULA