"DEPOIS DE DEUS, TEMER É O ÚNICO QUE NÃO PODE SER INVESTIGADO', DIZ PRESIDENTE DA ALEPE


Presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PDT), criticou a reforma trabalhista, a criação de um fundo público de R$ 3,6 bilhões para o financiamento de campanhas eleitorais e o arquivamento da denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer; "Esse Congresso que está aí já tirou os direitos trabalhistas com a reforma trabalhista. Já negou que Temer seja investigado. É a única pessoa do mundo depois de Deus que não pode ser investigada. Qualquer ministro pode, qualquer pessoa pode. E já estão resolvendo que a previdência vai ser na próxima gestão porque senão vão enterrar os que estão lá", disparou

Pernambuco 247 - O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa, criticou a reforma trabalhista, a criação de um fundo público de R$ 3,6 bilhões para o financiamento de campanhas eleitorais e o arquivamento da denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer pela Câmara dos Deputados.

"Esse Congresso que está aí já tirou os direitos trabalhistas com a reforma trabalhista. Já negou que Temer seja investigado. É a única pessoa do mundo depois de Deus que não pode ser investigada. Qualquer ministro pode, qualquer pessoa pode. E já estão resolvendo que a previdência vai ser na próxima gestão porque senão vão enterrar os que estão lá", disparou Uchoa.

Para o parlamentar, o serviço público não existe para financiar campanhas eleitorais, ainda mais com a economia em crise. "É um abuso de autoridade", disse. "O que vai sobrar amanhã é para os deputados estaduais em um projeto que diz que serão remetidos para eles apenas 5% desse dinheiro. Enquanto isso a população de Pernambuco vai cobrar a cada um de nós", completou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara