Concentrada em combustíveis, deflação não alivia conta do mercado; veja altas e baixas em 12 meses

Enquanto os combustíveis acumulam queda de 7,11% em 12 meses, os alimentos têm alta de 13,43%. Veja itens que mais subiram no período, e os que tiveram queda de preços.

Por Laura Naime, g1

Inflação em 12 meses fica abaixo de 10%; IPCA de agosto tem queda de 0,36%

Considerado o indicador oficial de inflação do Brasil, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve deflação em agosto: ficou em -0,36%, a menor taxa para meses de agosto desde 1998. No acumulado em 12 meses, o indicador voltou a ficar abaixo dos dois dígitos pela primeira vez em um ano.


A notícia é boa, sem dúvida. Mais que isso, é excelente para quem dirige – mas não alivia a conta do mercado.

Isso porque, enquanto os combustíveis tiveram fortes quedas no mês, os preços dos alimentos, que têm maior peso nas despesas das famílias de menor renda, continuaram subindo.

Os dados do IPCA apontam que os preços dos combustíveis em geral caíram 10,82% em agosto, com destaque para o recuo de 11,64% no valor médio do litro da gasolina. Já os alimentos subiram 0,24% – a nona alta mensal seguida.

Em 12 meses, enquanto os combustíveis acumulam queda de 7,11% (contribuindo para uma alta menos acentuada nos transportes), os alimentos têm alta de 13,43% – bem acima da inflação do período, de 8, 73%.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre