Câmara aprova PEC Emergencial; deputados ainda discutem emendas

366 parlamentares votaram a favor do projeto que reduz gastos da União e retoma pagamentos do auxílio emergencial

Por Brasil Econômico

Reprodução: ACidade ON
Após dois dias do início da votação, deputados aprovam PEC do Auxílio Emergencial

A Câmara dos Deputados aprovou no começo da tarde desta quarta-feira (10) o segundo turno da PEC Emergencial , que retoma os pagamentos do auxílio emergencial e reduz as contas públicas. Discutida em primeiro turno na madrugada, os deputados precisaram apenas discutir destaques apresentados e confirmar a votação em segundo turno.

Ao todo, 366 deputados votaram a favor da medida, contra 127 contrários. No primeiro turno, o índice foi maior, quando 341 parlamentares se mostraram favoráveis a medida.

O Projeto de Emenda à Constituição prevê a diminuição de gastos obrigatórios do governo federal para aumentar investimentos em gastos não obrigatórios. Para isso, a União pretende congelar salários de servidores por dois anos, evitar a chamada em concursos públicos e reduzir os benefícios e incentivos ficais para empresas.

Entregue ao Congresso Nacional em 2019, a PEC Emergencial passou por diversas alterações até o texto final aprovado pela Câmara. Uma das mais relevantes alterações, é a cláusula de calamidade que permite a retomada de pagamentos do auxílio emergencial .

Entre idas e vindas, os congressistas estipularam o teto de R$ 44 bilhões para a destruição das parcelas do benefício, que devem variar entre R$ 175 e R$ 375 em quatro parcelas. No entanto, ainda não uma definição para o início dos pagamentos dessa nova rodada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz