Notícias do dia: demissão de Moro, troca de acusações com Bolsonaro e a reação negativa do mercado

Investigação contra o presidente, mortes por coronavírus no Brasil, avanço da covid-19 nos EUA e na Rússia e a possibilidade do fim da união da Boeing com a Embraer também foram assuntos desta sexta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

Sérgio Moro pediu demissão do ministério da Justiça e acusou Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal. Baseado nas acusações de Moro, o procurador-geral da República Augusto Aras pediu uma investigação contra o presidente. Em pronunciamento, Bolsonaro acusou seu ex-ministro de exigir indicação ao Supremo Tribunal Federal. Com a saída de Moro, o dólar bateu novo recorde e a Bolsa registrou forte queda. E o presidente de grupo empresarial pró-Bolsonaro disse que apoio ficou abalado. 

Leia também sobre as novas mortes por coronavírus no Brasil, o avanço da covid-19 nos EUA e na Rússia e a possibilidade do fim da união da Boeing com a Embraer

Veja abaixo a lista das principais notícias do 'Estadão' nesta sexta-feira, 24 de abril de 2020:


Sérgio Moro anuncia saída do Ministério da Justiça 
Foto: Gabriela Biló/Estadão

Ao anunciar a saída do cargo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, acusou o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir politicamente no comando da Polícia Federal para obter acesso a informações sigilosas e relatórios de inteligência. 



Ao lado de ministros e do vice Hamilton Mourão, o presidente 
Jair Bolsonaro faz pronunciamento sobre demissão de Sérgio Moro 
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Em resposta à saída, recheada de acusações, do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que Moro condicionou à exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, a uma indicação para o Supremo Tribunal Federal (STF) em novembro. Logo após o pronunciamenento, o ex-ministro Sérgio Moro respondeu o presidente em sua conta no Twitter e negou que tenha condicionado uma troca no comando da PF a sua indicação ao STF. 



O procurador-geral da República, Augusto Aras 
Foto: Evaristo Sá/AFP

O procurador-geral da República, Augusto Aras, decidiu pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma investigação após as declarações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O objetivo é apurar se foram cometidos os crimes de falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de justiça, corrupção passiva privilegiada, denunciação caluniosa e crime contra a honra.



Painel na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3
 Foto: Gabriela Biló/Estadão

Com a saída do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, do governo, a Bolsa de Valores de São Paulo intensificou as perdas e chegou perto de acionar o 'circuit breaker', mecanismo que suspende as negociações. Com os resultados negativos do pregão, a B3 fechou com queda de 5,45%, aos 75.330,61 pontos. O dólar também reagiu negativamente e chegou a máxima histórica de R$ 5,74. A moeda terminou o dia com alta de 2,40%, a R$ 5,66.

Leia também: Em três dias de caos político, BC já queimou US$ 5,4 bilhões para segurar o câmbio


Gabriel Kanner, presidente do instituto Brasil 200 
Foto: FELIPE RAU/ESTADÃO - 2/5/2019

“Hoje, qualquer tipo de esperança que a gente pudesse ter no Bolsonaro veio por água abaixo”, disse Gabriel Kanner, presidente do Instituto Brasil 200, que reúne cerca de 300 empresários em todo o Brasil que apoiaram o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha e ao longo do seu governo.


Membros das Forças Armadas limpam hospitais públicos em Brasilia 
Foto: Joedson Alves/ EFE

De acordo com o boletim do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 357 mortes provocadas pelo novo coronavírus e 3.503 casos da doença nas últimas 24 horas. Com isso, em todo o País, o número total de mortes de pessoas infectadas pelo novo coronavírus chegou a 3.670, com um total de 52.995 casos confirmados. 


Imagem feita com drone do local preparado na Hart Island, em Nova York, 
para sepultar as vítimas do coronavírus 
 Foto: Lucas Jackson/Reuters

Os Estados Unidos chegaram a 50.031 mortes causadas pela covid-19, com ao menos 870.468 casos confirmados da doença, cuja pandemia motivou o confinamento da maioria da população e a paralisação de grande parte da atividade econômica para evitar a propagação dos contágios.



Trump durante entrevista coletiva diária na Casa Branca
 Foto: Mandel Ngan/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu métodos sem embasamento científico para combater o novo coronavírus em seu briefing diário na Casa Branca na quinta-feira, 23. Ele comentou sobre o uso de uma injeção de desinfetante e da luz ultravioleta. 


O bailarino Ivan Zaytsev, principal do Teatro Mikhailovski, e seu filho, estudante da Academia Vaganova, treinam confinados em sua casa, 
em São Petesburgo, em meio à pandemia na Rússia 
 Foto: Anton Vaganov/Reuters

A Rússia registrou nesta sexta-feira, 24, 5.849 casos confirmados do novo coronavírus, elevando a 68.622 o número de pessoas infectadas em todo o país. Sessenta pessoas morreram em 24 horas, elevando a 615 o número de mortos.


Analistas comentaram que a Boeing tinha um grande estímulo para desistir no negócio.
 Foto: REUTERS/Matt Mills McKnight

O plano da Boeing de adquirir o negócio de jatos regionais da Embraer no Brasil ficou sob risco nesta sexta-feira, 24, segundo a versão online do jornal britânico Financial Times. Os dois lados discutiram as condições associadas à união de bilhões de dólares poucas horas antes do prazo que dá a cada uma das companhias o direito de desistir do acordo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS