Não foi um tiro no pé. Foi no coração!, por Zé Minhoca*


O Presidente Bolsonaro (em quem votei!), parece que tem prazer em criar e alimentar crises, bem como, também em tomar decisões equivocadas, como a da semana passada, ao exonerar o até então competente Ministro da Saúde, Dr. Luiz Henrique Mandetta. Ontem, o País assistiu, incrédulo, numa entrevista coletiva transmitida em rede nacional, mais um desatino do nosso Mandatário-mor, quando tentou “explicar/justificar”, a exoneração do agora ex-Ministro da Justiça e da Segurança Pública, Dr. Sérgio Moro.
Que fique bem claro, que a nomeação ou exoneração de Ministros; Presidentes e Diretores de Autarquias; Fundações e/ou Entidades Públicas Federais, salvo melhor juízo, compete exclusivamente ao Presidente da República. Assim, não quero aqui, absolutamente, discordar da prerrogativa do Presidente em exercê-la.  Quero, sim, como dezenas de milhões de brasileiros, que nele votaram e também, (e disso tenho absoluta certeza), como outros milhares que nele não votaram, protestar veementemente pela maneira acintosa com que ele afastou temporariamente (ainda bem!), da vida pública, o seu melhor e mais reluzente General!
Como se não bastasse essa crise involuntária sem tamanho, provocada pelo coronavírus, o nosso (ainda) Presidente, continua teimando em tripudiar sobre o bom senso.
Sinceramente, Presidente Bolsonaro, dessa vez o Senhor não deu um tiro no pé. Foi no coração!  Do Brasil!

*Zé Minhoca (PSDB) é vereador em Santa Cruz do Capibaribe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz