Tio e sobrinho, Antônio e João Campos trocam ataques

João Campos disse que o tio era pior que o ministro da Educação; Antônio, por sua vez, falou que 'o jovem deputado foi nutrido na mamadeira da empresa Odebrecht'

Toda a confusão começou durante a participação de Weintraub em uma reunião da Comissão de Educação da Câmara na quarta-feira (11)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

JC Online
Com informações do Blog de Jamildo

O deputado federal João Campos (PSB-PE) criticou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Antônio Campos, que é tio dele. A fala, que gerou uma série de rebatimentos nesta quinta-feira (12), foi durante a participação de Weintraub em uma reunião da Comissão de Educação da Câmara na quarta-feira (11).

João Campos primeiro fez um discurso em defesa das universidades federais e questionando o trabalho do ministro na pasta. “O senhor diz que é bom de gestão, então por que não entregou o planejamento estratégico do MEC?”, disse. Outros deputados falaram em seguida.




Weintraub, então, respondeu a João Campos. O ministro negou que seja um “vetor do mal” na área e enfatizou que Antônio Campos, tio do deputado, atua no ministério.

Leia Também

“Nem relação eu tenho com ele. Ele é um sujeito pior que você”, interrompeu João Campos, pegando o microfone. Parlamentares chamaram a atenção dele, afirmando que não poderia haver apartes ou comentários à declaração do ministro.

O ministro foi convocado à Comissão de Educação para explicar a declaração de que haveria produção de drogas nas universidades federais, feita no fim de novembro.

Em resposta ao sobrinho, Antônio Campos questionou o PSB. “O jovem deputado deveria estar cobrando da Prefeitura do Recife mais rigor na contratação da merenda e dos kits escolares. Fazer primeiro o dever de casa em sua terra”, disse.

João Campos é cotado para disputar a sucessão do prefeito de Geraldo Julio (PSB) na capital pernambucana.

Depois, por nota, o presidente da Fundaj voltou a atacar o sobrinho. “O jovem deputado foi nutrido na mamadeira da empresa Odebrecht, entre outras, estando com os bens patrimoniais dos quais é herdeiro bloqueados. Pernambuco precisa conhecer o lado obscuro de Renata Campos e seu filho”.

“Estarei protocolando perante à Procuradoria Geral da República, à Polícia Federal e ao Núcleo da Operação Lava Jato, petições, que depois de protocoladas, tornarei pública à imprensa e às autoridades constituídas, revelando uma parte desse lado obscuro”, afirmou Antônio Campos na nota enviada ao Blog de Jamildo.

Após as críticas do deputado, a mãe de Antônio e avó de João, a ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) Ana Arraes mandou um recado duro para o neto. “Não admito grosseria. Você está desrespeitando sua avó. Você está dividindo a família sem razão. Antonio Campos é muito inteligente e trabalhador. Liderança se consegue construindo. O desrespeito fica para quem não tem argumentos. Eu não vou admitir agressões sua contra Tonca. Ele nunca lhe agrediu”, afirmou Ana Arraes, que autorizou a publicação de sua fala no Blog de Jamildo.

O irmão do ex-governador Eduardo Campos (PSB) assumiu a presidência da Fundaj por indicação do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Candidato à prefeitura de Olinda em 2016, Antônio Campos deixou o partido no ano seguinte. Ele acusou a legenda de não dar apoio à sua campanha e passou a criticar a mãe de João, Renata Campos. Pelo Podemos, foi candidato a deputado estadual em 2018, mas recebeu 3.658 votos e não foi eleito. Já João, foi o deputado federal mais votado em Pernambuco, com 460.387 votos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS