Netanyahu tem vantagem apertada com 99% dos votos apurados em Israel

Com ajuda de partidos aliados, premier já garantiu a maioria no Parlamento; com quase todas as urnas apuradas, eles conquistaram 65 dos 120 assentos

Reprodução/Instagram - Afeto de Bolsonaro, Benjamin Netanyahu venceu as eleições em Israel na madrugada desta quarta-feira

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que está no poder desde 2009, conquistou um caminho tranquilo para garantir mais uma vitória nas eleições em Israel . O resultado favorável a ele acontece em um cenário dificultoso, já que o premiê foi indiciado recentemente por fraude, abuso de poder e corrupção. 

Com 99% das urnas apuradas, o partido do premiê, o conservador Likud, conquistou 35 dos 120 assentos no Parlamento, mesmo número obtido pela aliança centrista Azul e Branco, liderada pelo ex-chefe do Estado Maior das Forças Armadas Benny Gantz. Netanyahu , no entanto, deve contar com o apoio de partidos religiosos e de extrema direita e garantir ao menos 65 cadeiras no Parlamento, enquanto o bloco de centro-esquerda ficará com 55 assentos.

"Estou muito emocionado. Essa é a madrugada de uma vitória imensa. O povo de Israel me confirmou sua confiança pela quinta vez", disse o primeiro-ministro de Israel em um discurso para seus apoiadores em Tel Aviv, acompanhado de sua esposa, Sara.

Para conquistar o feito, o premiê superou inúmeros escândalos e reforçou seu apelo ao eleitorado conservador. Inclusive, ele aderiu à promessa de anexar assentamentos judeus na Cisjordânia, o que, na prática, pode inviabilizar a paz com os palestinos.

"Infelizmente, os israelenses votaram em candidatos empenhados em manter o status quo da ocupação, anexação e expropriação da Palestina", disse uma expoente da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Hanan Ashrawi, acrescentando que Israel elegeu um "Parlamento da direita racista e xenófoba".

Com a vitória de Netanyahu , espera-se que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresente seu plano de paz para o Oriente Médio, embora os palestinos não reconheçam mais a Casa Branca como mediadora do conflito, em função do reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

Benny Gantz, por sua vez, que chegara a declarar vitória após a divulgação de pesquisas de boca de urna que mostravam sua aliança na frente do Likud , enviou uma mensagem a apoiadores dizendo que os resultados ainda não são definitivos. "Ainda é possível que haja mudanças eleitorais e que possamos fazer algumas manobras políticas", declarou.

Gantz citou também o dever de "representar mais de 1 milhão de pessoas" que pediram mudança. "É uma vitória histórica sem precedentes, temos de ficar orgulhosos", acrescentou.

Benjamin Netanyahu é um dos afetos do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Em março deste ano, inclusive, o brasileiro foi a Israel, onde foi recebido como convidado ilustre. Essa foi a segunda viagem internacional de Bolsonaro, que foi aos Estados Unidos ainda no mês passado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre