Netanyahu tem vantagem apertada com 99% dos votos apurados em Israel

Com ajuda de partidos aliados, premier já garantiu a maioria no Parlamento; com quase todas as urnas apuradas, eles conquistaram 65 dos 120 assentos

Reprodução/Instagram - Afeto de Bolsonaro, Benjamin Netanyahu venceu as eleições em Israel na madrugada desta quarta-feira

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que está no poder desde 2009, conquistou um caminho tranquilo para garantir mais uma vitória nas eleições em Israel . O resultado favorável a ele acontece em um cenário dificultoso, já que o premiê foi indiciado recentemente por fraude, abuso de poder e corrupção. 

Com 99% das urnas apuradas, o partido do premiê, o conservador Likud, conquistou 35 dos 120 assentos no Parlamento, mesmo número obtido pela aliança centrista Azul e Branco, liderada pelo ex-chefe do Estado Maior das Forças Armadas Benny Gantz. Netanyahu , no entanto, deve contar com o apoio de partidos religiosos e de extrema direita e garantir ao menos 65 cadeiras no Parlamento, enquanto o bloco de centro-esquerda ficará com 55 assentos.

"Estou muito emocionado. Essa é a madrugada de uma vitória imensa. O povo de Israel me confirmou sua confiança pela quinta vez", disse o primeiro-ministro de Israel em um discurso para seus apoiadores em Tel Aviv, acompanhado de sua esposa, Sara.

Para conquistar o feito, o premiê superou inúmeros escândalos e reforçou seu apelo ao eleitorado conservador. Inclusive, ele aderiu à promessa de anexar assentamentos judeus na Cisjordânia, o que, na prática, pode inviabilizar a paz com os palestinos.

"Infelizmente, os israelenses votaram em candidatos empenhados em manter o status quo da ocupação, anexação e expropriação da Palestina", disse uma expoente da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Hanan Ashrawi, acrescentando que Israel elegeu um "Parlamento da direita racista e xenófoba".

Com a vitória de Netanyahu , espera-se que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresente seu plano de paz para o Oriente Médio, embora os palestinos não reconheçam mais a Casa Branca como mediadora do conflito, em função do reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

Benny Gantz, por sua vez, que chegara a declarar vitória após a divulgação de pesquisas de boca de urna que mostravam sua aliança na frente do Likud , enviou uma mensagem a apoiadores dizendo que os resultados ainda não são definitivos. "Ainda é possível que haja mudanças eleitorais e que possamos fazer algumas manobras políticas", declarou.

Gantz citou também o dever de "representar mais de 1 milhão de pessoas" que pediram mudança. "É uma vitória histórica sem precedentes, temos de ficar orgulhosos", acrescentou.

Benjamin Netanyahu é um dos afetos do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Em março deste ano, inclusive, o brasileiro foi a Israel, onde foi recebido como convidado ilustre. Essa foi a segunda viagem internacional de Bolsonaro, que foi aos Estados Unidos ainda no mês passado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

SETE GOVERNADORES ENCARAM TEMER E DIZEM NÃO A PEDRO PARENTE