Lula deixa sede da PF em Curitiba e chega a SP para ir a velório de neto

Por iG São Paulo *

Ex-presidente deixou a carceragem onde cumpre pena, às 7h deste sábado; ele saiu em helicóptero e foi até aeroporto do Bacacheri, onde pegou avião

Reprodução/Globo News
Lula deixa carceragem da PF em Curitiba para ir ao velório do neto em 
São Bernardo do Campo, em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre pena, às 7h deste sábado (2), para ir ao velório do neto, Arthur Lula da Silva, de 7 anos, em São Paulo. Arthur morreu nesta sexta-feira (1º) vítima de meningite meningocócica, e será velado em São Bernardo do Campo.

Lula saiu da sede da Políica Federal em um helicóptero da Polícia Civil e seguiu para o Aeroporto do Bacacheri, também na capital paranaense, e embarcou em uma aeronave do governo do Paraná. O avião decolou do terminal aéreo perto das 7h20 e já chegou em São Paulo. O velório do corpo de Arthur acontece no Cemitério Jardim da Colina.

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal em Curitiba, autorizou ontem o ex-presidente a deixar a carceragem para comparecer ao velório do neto. A decisão está em segredo de Justiça e não será divulgada por motivos de segurança. Cabe à PF escoltar o ex-presidente até o local do velório e do sepultamento.

No pedido de autorização para o petista deixar a prisão, feito no início da tarde, os advogados do ex-presidente argumentaram que a Lei de Execução Penal prevê que presos deixem a prisão para comparecer ao velório de parente próximos. 

Ele está preso desde 7 de abril do ano passado por ter sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal (4ª Região), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

Em janeiro, o ex-presidente pediu autorização para sair da prisão e comparecer ao velório do irmão, Genival Inácio da Silva, conhecido como Vavá, que morreu em decorrência de câncer no pulmão. No entanto, o pedido foi negado pela juíza federal Carolina Lebbos. A decisão foi confirmada pelo desembargador federal Leandro Paulsen, do TRF4.

Mais tarde, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, aceitou recurso da defesa e autorizou a saída de Lula , mas o ex-presidente não concordou com as condições impostas na decisão, que determinava que o ex-presidente poderia se encontrar com os parentes, mas em um quartel das Forças Armadas. A decisão de Toffoli também foi tomada só após o velório de Vavá. 

* Com informações da Agência Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara