Com homenagem a Marielle Franco, Mangueira vence carnaval do Rio

Escola foi a sexta a se apresentar na segunda noite de desfiles e emocionou o público da Marquês de Sapucaí

Fábio Grellet e Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

Apuração foi celebrada na quadra da Mangueira 
 Foto: Wilton Junior/Estadão

RIO - Com homenagem à vereadora Marielle Franco, a Estação Primeira de Mangueira venceu o carnaval do Rio de 2019. A leitura das notas das escolas de samba foi realizada nesta Quarta-feira de Cinzas, 6, na Marquês de Sapucaí, sob clima de comemoração entre diretores da agremiação e torcedores na quadra da escola. A Mangueira liderou a apuração desde o primeiro quesito. 

Sexta escola a se apresentar na segunda noite de desfiles, já ao amanhecer de terça-feira, 5, a verde e rosa se equiparou a outras em fantasias e alegorias, mas arrebatou a plateia com uma comovente homenagem a Marielle Franco (PSOL), assassinada em março de 2018 no centro do Rio. A parlamentar era citada nominalmente no samba, o mais cantado deste carnaval.

Marielle foi figura central de um enredo que elogiava heróis populares brasileiros não reconhecidos na maioria dos livros didáticos e demais registros históricos. O auge da comoção ocorreu na parte final do desfile, onde correligionários, familiares e apoiadores da vereadora balançavam bandeiras com retratos de Marielle e outras lideranças populares, enquanto outros carregavam uma imensa bandeira do Brasil onde o lema positivista “ordem e progresso” foi substituído por “índios, negros e pobres”. 

Escola Mangueira desfilando na avenida
 Foto: Fabio Motta/Estadão

Entre as pessoas que empunharam bandeiras figuram o deputado federal Marcelo Freixo e o vereador Tarcísio Motta, ambos do PSOL. Mônica Benício, viúva de Marielle, também desfilou, mas apenas com uma camisa que homenageava a parlamentar.

Outra menção a Marielle era feita na comissão de frente, que virava a história oficial pelo avesso: figuras históricas tradicionalmente reconhecidas, representadas como anões, eram substituídas por índios e negros. Na encenação, as novas personalidades erguiam uma menina que, representando Marielle, empunhava uma faixa onde se lia “presente”. O coro de “Marielle: presente” é uma forma frequente de homenagear a vereadora morta.

Mangueira emociona com homenagem a Marielle Franco. 
 Foto: Fábio Motta/Estadão

Apuração

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) divulgou no início da tarde desta quarta a ordem da leitura das notas. Primeiro foram abertos os envelopes do quesito evolução. Em seguida foram lidas, nesta ordem, as notas relativas à harmonia, mestre-sala e porta-bandeira, alegorias e adereços, comissão de frente, samba enredo, enredo, bateria e fantasias. A pior nota de cada escola é descartada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara