Ninguém pode ameaçar um deputado e 'sentir-se impune', diz Maia

‘Mesmo estando em posições divergentes no campo das ideias, reconheço a importância do seu mandato’, posicionou-se presidente da Câmara sobre decisão de Jean Wyllys (Psol)


Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) se manifestou nesta quinta-feira (24) logo após o anúncio do deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) desistindo de assumir o terceiro mandato por estar sofrendo ameaças.

Em nota enviada à imprensa, o parlamentar disse que ninguém pode ameaçar um deputado federal e sentir-se impune: "Lamento a decisão tomada pelo deputado Jean Wyllys. Como presidente da Casa, e seu colega na Câmara, mesmo estando em posições divergentes no campo das ideias, reconheço a importância do seu mandato. Nenhum parlamentar pode se sentir ameaçado, ninguém pode ameaçar um deputado federal e sentir-se impune", escreveu.

Wyllys começou a relatar ameaças logo após a morte da vereadora Marielle Franco (PSL-RJ) alvejada junto com seu motorista, Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado. Poucos dias antes do seu assassinato, a vereadora havia feito denúncias contra a ação abusiva de Policiais Militares. 

No início desta semana, o Ministério Público do Rio de Janeiro, junto com a Polícia Federal, deflagrou a operação Os Intocáveis, prendendo suspeitos da morte de Marielle que atuavam na milícia de Rio das Pedras, a mais antiga e perigosa do Estado do Rio de Janeiro. Dois deles, foram condecorados na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro pelo deputado e senador eleito, Flávio Bolsonaro. As investigações mostram, ainda, que mulher e esposa de um dos ex-policiais envolvidos na organização criminosa, trabalharam no gabinete do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro. 

Jean Wyllys é o primeiro deputado federal assumidamente gay eleito no Congresso. Ao anunciar que não assumirá o próximo mandato e se mudará do país, o ex-parlamentar escreveu nas suas redes sociais que "preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores". 

"Fizemos muito pelo bem comum. E faremos muito mais quando chegar o novo tempo, não importa por outros meios. Obrigada a todas e todos vocês, de coração. Axé!".

Quem irá substituir Wyllys na Câmara será o suplente David Miranda, gay, casado e pai de dois filhos. O parlamentar recebeu 17.356 votos, o equivalente a 0,22% dos válidos, e garantiu a primeira suplência do PSol.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENDONÇA FILHO VOLTA A SER ESCRACHADO: ‘XÔ, GOLPISTA’

Vereadora Marielle Franco é assassinada a tiros na região central do Rio de Janeiro