'Vou governar sem distinção de cor, sexo ou religião', afirma Bolsonaro

Presidente eleito discursou durante cerimônia de diplomação, no TSE, e elogiou o processo eleitoral. Ele também prometeu combater a violência e a corrupção

DR Denise Rothenburg, RS Renato Souza. SK Simone Kafruni

(foto: Minervino Júnior/CB/DA Press) 

No discurso durante sua diplomação como presidente da República, realizada nesta segunda-feira (10), o presidente eleito Jair Bolsonaro exaltou a democracia, agradeceu a Justiça Eleitoral pela realização de eleições democráticas e disse que governará para todos os brasileiros.

Em tom diferente do usado no período eleitoral, Bolsonaro disse que a votação ocorreu com lisura. "Agradeço a Justiça Eleitoral pelo excelente trabalho realizado. Esse processo, que garante o voto, é inquebrantável, não tem como retroceder. Serei o presidente de 210 milhões de brasileiros. Vou governar sem distinção de cor, sexo ou religião", disse.

A cerimônia contou com 700 convidados, entre eles comandantes das Forças Armadas; o ex-presidente Fernando Collor de Mello; o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, entre outros. 

Combate à violência e corrupção 

Bolsonaro disse que vai ampliar o acesso a serviços públicos e combater a violência e a corrupção. "Nossa obrigação é oferecer um Estado eficiente. Garantir que os brasileiros regressem ao seu lar em segurança após um dia de trabalho. Trabalharei para que daqui a quatro anos possamos olhar para trás com a sensação de trabalho realizado."

Bolsonaro disse que, nas eleições de outubro, a população deu um recado de que deseja mudança. "Vivemos um novo tempo. As eleições de outubro revelaram o fim das práticas do passado. A vontade da população não precisa mais de intermediários." 

Declaração dos Direitos Humanos

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, discursou logo em seguida: "Há exatos 70 anos, a terceira assembleia geral da ONU, reunida em Paris, promulgou a Declaração Universal dos Diretos Humanos, garantindo direitos como a liberdade, a Justiça e a paz no mundo", lembrou.

"Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Na democracia, senhoras e senhores, maioria e minoria devem coexistir participando dos debates. O princípio democrático ocorre no respeito às minorias, em especial as atingidas pelas situações de vulnerabilidades as quais injustamente estão expostas. Em uma democracia, as leis irmanam e igualam a todos", disse.

A ministra continuou, ressaltando que o Brasil assinou tratados internacionais que garantem o respeito às liberdades individuais, coletivas e as diferenças. "Este esforço a de ser compartilhado por todos, de modo a propícias avanços civilizatórios na sociedade brasileira. O Brasil está obrigado a cumprir compromissos assumidos há décadas. O Estado brasileiro está comprometido com a garantia dia dos direitos humanos. Por isso, senhor presidente eleito, o respeito, assumido em visita a está Corte, a Constituição Federal, deve nortear o seu governo", completou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara