'Vou governar sem distinção de cor, sexo ou religião', afirma Bolsonaro

Presidente eleito discursou durante cerimônia de diplomação, no TSE, e elogiou o processo eleitoral. Ele também prometeu combater a violência e a corrupção

DR Denise Rothenburg, RS Renato Souza. SK Simone Kafruni

(foto: Minervino Júnior/CB/DA Press) 

No discurso durante sua diplomação como presidente da República, realizada nesta segunda-feira (10), o presidente eleito Jair Bolsonaro exaltou a democracia, agradeceu a Justiça Eleitoral pela realização de eleições democráticas e disse que governará para todos os brasileiros.

Em tom diferente do usado no período eleitoral, Bolsonaro disse que a votação ocorreu com lisura. "Agradeço a Justiça Eleitoral pelo excelente trabalho realizado. Esse processo, que garante o voto, é inquebrantável, não tem como retroceder. Serei o presidente de 210 milhões de brasileiros. Vou governar sem distinção de cor, sexo ou religião", disse.

A cerimônia contou com 700 convidados, entre eles comandantes das Forças Armadas; o ex-presidente Fernando Collor de Mello; o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, entre outros. 

Combate à violência e corrupção 

Bolsonaro disse que vai ampliar o acesso a serviços públicos e combater a violência e a corrupção. "Nossa obrigação é oferecer um Estado eficiente. Garantir que os brasileiros regressem ao seu lar em segurança após um dia de trabalho. Trabalharei para que daqui a quatro anos possamos olhar para trás com a sensação de trabalho realizado."

Bolsonaro disse que, nas eleições de outubro, a população deu um recado de que deseja mudança. "Vivemos um novo tempo. As eleições de outubro revelaram o fim das práticas do passado. A vontade da população não precisa mais de intermediários." 

Declaração dos Direitos Humanos

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, discursou logo em seguida: "Há exatos 70 anos, a terceira assembleia geral da ONU, reunida em Paris, promulgou a Declaração Universal dos Diretos Humanos, garantindo direitos como a liberdade, a Justiça e a paz no mundo", lembrou.

"Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. Na democracia, senhoras e senhores, maioria e minoria devem coexistir participando dos debates. O princípio democrático ocorre no respeito às minorias, em especial as atingidas pelas situações de vulnerabilidades as quais injustamente estão expostas. Em uma democracia, as leis irmanam e igualam a todos", disse.

A ministra continuou, ressaltando que o Brasil assinou tratados internacionais que garantem o respeito às liberdades individuais, coletivas e as diferenças. "Este esforço a de ser compartilhado por todos, de modo a propícias avanços civilizatórios na sociedade brasileira. O Brasil está obrigado a cumprir compromissos assumidos há décadas. O Estado brasileiro está comprometido com a garantia dia dos direitos humanos. Por isso, senhor presidente eleito, o respeito, assumido em visita a está Corte, a Constituição Federal, deve nortear o seu governo", completou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MENDONÇA FILHO VOLTA A SER ESCRACHADO: ‘XÔ, GOLPISTA’

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe