Ciro Gomes vai trair o PT, mas...



É mais que certo que o Ciro Gomes vai trair o PT, mas fazer o quê? Deixar o País sob o risco de tomar posse o segundo colocado nas eleições de 2018, um fascista cruel e cínico? Ou a continuidade dos golpistas do Mercado Econômico que estão "arriando as calças" para os EUA – que colonizaram o Brasil novamente – e dando como presente nossos poços de petróleo e o sangue do trabalhador que todos os dias perde mais direitos num Congresso Nacional de canalhas sem escrúpulos (com raras exceções ali)?

Estamos numa encruzilhada bem pouco vista na história do País. O homem que lidera tranquilo as pesquisas eleitorais está preso [politicamente, julgado]. Vence a eleição até na cadeia e com os pés nas costas. Todavia, uma Lei que foi em parte liderada sua aprovação no Congresso Nacional pela esquerda brasileira, ironicamente impede o maior líder de esquerda do País de tomar posse. A saber, Lula vence a eleição, mas o Supremo Tribunal Federal, casa de castas protecionistas do Mercado Financeiro e do Sistema Político vigente, não terá coragem de dar a Lula seu sagrado direito de tomar posse, isso em face da letra fria da Lei da Ficha Limpa.

Veja que até o ministro Dias Toffoli (no dia 03/05), que já advogou no início de sua carreira para o PT, negou o pedido mais que justo de Lula para retirar de Moro o processo do "Sítio de Atibaia" e devolver ao foro competente, qual seja, a jurisdição de São Paulo, do território onde o sítio é pertencido. Como confiar numa Justiça com esse tipo de juiz, que, se não pode aplicar a técnica do Direito, a letra fria da Lei, ao menos deveria respeitar suas "raízes" de formação e de quem o indicou ao importante cargo da magistratura. Conclui-se que o preso político Lula está perdendo para o enviesamento das lógicas, do Direito e da Política nos tribunais.

Restaria aos partidos progressistas a unidade estratégica para emplacar um substituto à candidatura de Lula. Ora, Ciro é um bravateiro. Fala demais. Não respeita o PT e os partidos de esquerda. Todavia, Ciro, dos progressistas, é o que tem real chance de vencer a eleição desde que, e somente se, o PT aceitar indicar o vice em sua chapa. Olha a responsabilidade de Ciro! Olha a responsabilidade do PT!

Ciro, embora um falastrão, é medianamente querido pelo Mercado. Entende tudo de economia, de relações internacionais e de Congresso Nacional. Sabe o que é o custo-Brasil, as lacunas na infraestrutura e no desenvolvimento Nacional. Basta uma nova "Carta aos Brasileiros" para que o Mercado aceite Ciro presidente.

Ciro, embora volátil, é medianamente querido pelo Trabalhador. Entende tudo de direitos sociais, de saúde e de educação. Basta que reafirme a revogação das canalhices que os congressistas fizeram ao aprovar a "PEC 55" (maldito congelamento dos investimentos sociais), da deforma[ção] trabalhista que deu fim à CLT e outras medidas neste sentido para que o Trabalhador aceite Ciro presidente.

Vence a eleição o candidato do Mercado: dinheiro, livre iniciativa, especulação econômica, banqueiros, latifundiários, industriais, elites, neste lado representado por Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles e, olha-olha, o João Doria, apoiados por Michel Temer,

Ou vence a eleição o candidato das Políticas Públicas: iniciativa social, previdência, saúde, educação, universidade para todos, acesso ao micro-crédito, incentivo ao micro e pequeno empreendedor, agricultura familiar, bolsistas do Ciência Sem Fronteira, povo, neste lado representado por Ciro Gomes, Manuela D'ávila e, olha-olha, o Fernando Haddad, apoiados por Lula da Silva.

Portanto, a eleição será perdida, por um ou outro, em cálculo milimétrico de erro na tática. E o povo brasileiro não merece essa roleta-russa cruel que pode gerar impactos por "n" gerações à frente, a partir da maldita sangria exposta pelos golpistas que ocupam o Palácio do Planalto há bem pouco tempo e já imprimem desgraças estratosféricas – quase eternas.

Ciro tem um pé perto da direita (sua formação) e um pé perto da esquerda (sua conversão). Saberá atender aos empresários, mas sobretudo, saberá cuidar dos direitos dos trabalhadores e das gerações futuras. Trata-se de um reencontro com a perspectiva Civilizatória brasileira, com a democracia devoluta, com a sustentabilidade intergeracional. Ciro é apenas e mais nada que o elemento de transição, de revisão conjuntural, de conteúdo pragmático. Eleição é pragmática pura.

No entanto, Ciro trairá o PT por sua arrogância e vaidade desgraçadas. Nessa hora, o PT, que terá um vice à altura, precisará tomar posição. O fator que dará ao povo novamente seus direitos, e trará de volta sutilezas da normalidade política, Ciro, ao romper os compromissos com o PT, terá de enfrentar um gigante como Haddad, ou uma guerreira Gleisi, seus prováveis vices, finalmente como a candidatura perfeita para um Brasil do futuro, em 2022.

Esse será o preço da traição de Ciro Gomes ao partido que lhe deu as eleições atuais.

*Formado em Letras pela UnB, pós-graduado em Direito Público pela Faculdade Damásio de Jesus, foi Secretário Municipal de Educação e Cultura em Cidade Ocidental, na região do Entorno de Brasília

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

CARLINHOS DA COHAB: MAIS ÁGUA PARA POÇO FUNDO E APOIO A DIOGO MORAES

PT estadual vota a favor da candidatura de Marília Arraes ao governo

Membros do PSD retornam ao grupo de situação em Santa Cruz do Capibaribe