Sílvio Costa: ‘o PSB foi o grande algoz das esquerdas’

Silvio Costa - Foto Zeca Ribeiro

Por Sílvio Costa, vice-líder das oposições na Câmara dos Deputados

A política é a arte do diálogo, mas, dependendo do político, pode ser também a arte da desfaçatez. A visita ou tentativa de visita do governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), ao ex-presidente Lula, em Curitiba, é um exemplo de cinismo político reles. O PSB foi o grande responsável pelo impeachment da presidente Dilma, em 2016, uma ruptura da ordem democrática que desorganizou o país e fragilizou as instituições, levando à situação grave que hoje vivemos.

O PSB tinha o número suficiente de deputados para evitar o impeachment de Dilma, porém, ao contrário, ajudou a arrancar do poder a presidente eleita pelos brasileiros. Sendo mais realista, eu diria que o PSB foi tão algoz do país quanto o PMDB, PSDB e DEM. Além da derrubada de Dilma, os socialistas – e os de Pernambuco têm o poder na legenda – são responsáveis por um segundo mal à população mais carente: o impeachment desorganizou as esquerdas no Brasil. O PSB é o maior algoz das esquerdas brasileiras.

Uma análise lúcida dos trágicos episódios políticos do país vai demonstrar que os socialistas, desde 2013, quando abandonaram o governo, trabalharam para derrubar Dilma. Depois de alcançar o objetivo, em 2016, calaram-se, tentando aparentar um postura de neutralidade ao governo Temer.

Acontece que o golpe não se limitava à derrubada de Dilma. Lula viria depois. O golpe previa a prisão do ex-presidente Lula, a busca por destruí-lo política e pessoalmente. Lula é o primeiro ex-presidente preso, e sem ter a materialidade do crime. Grande parte do saber jurídico nacional afirma que não há provas contra Lula, o que joga a sua condenação ao limbo da perseguição e da condenação política.

O PSB tem culpa sobre tudo isso. Mas, agora, Paulo Câmara quer a aproximação e aliança com o PT por mero cálculo eleitoral. O governador quer, de todo jeito, retirar a candidatura de Marília Arraes. Ele tem medo de Marília porque sabe que, estando ela na disputa, Paulo Câmara corre o risco de sequer ir ao segundo turno.

Paulo Câmara busca, agora, encobrir o mal que o PSB fez ao país e às esquerdas. Ele e o PSB, que em 2014 votaram em Aécio Neves (PSDB). Eu pergunto: o que seria deste país e da Lava Jato se o senador mineiro tivesse sido eleito? O PSB tenta reparar o mal que fez a Pernambuco e ao Brasil. O PSB foi profundamente desleal com o ex-presidente Lula. Acredito na militância do PT. Ela não vai esquecer o que Paulo Câmara e seus aliados fizeram contra os ex-presidentes Dilma e Lula.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara