''Tempo de TV não é definitivo'', diz Paulo sobre MDB na oposição

Na última terça-feira, Executiva Nacional do MDB decidiu dissolver o partido em PE, transferindo o seu comando para o senador Fernando Bezerra Coelho

Paulo disse que não está preocupado ainda com as questões eleitorais
Foto: JC Imagem

Do Jornal do Commercio

Após ver o MDB ser levado para a oposição pelo senador Fernando Bezerra Coelho, o governador Paulo Câmara (PSB) disse na última quarta-feira (21) que o tempo no guia eleitoral de TV e rádio não é “fundamental” para se vencer uma eleição. A mudança no posicionamento do MDB pode fazer com que a frente de oposição Pernambuco Quer Mudar tenha mais tempo de propaganda nas mídias do que a Frente Popular, coligação do chefe do executivo Estadual. Paulo disse ter certeza que o deputado federal Jarbas Vasconcelos e o vice-governador Raul Henry vão reverter na Justiça a perda do comando da sigla e garantiu que estará com os dois na campanha.

“O tempo de televisão é importante? É. Mas não é definitivo, nem fundamental para ganhar uma eleição. Se não tiver proposta, se não tiver ideias e se não tiver trabalho, não se ganha eleição”, afirmou o governador. “A Frente Popular já ganhou eleições com muito tempo de televisão, com pouco tempo de televisão. O que vale é o trabalho, a transparência e as ideias”, ressaltou.

Questionado se o PT é uma alternativa para compor o tempo de TV e rádio, Paulo disse que não está preocupado ainda com as questões eleitorais. “Quem a gente puder juntar em favor do nosso projeto, nós vamos juntar, vamos atrás”, adiantou apenas. O governador também alfinetou Fernando Bezerra Coelho. “Não tem o que avaliar. As próprias ações do senador Fernando falam por si só. É só ver todo o histórico dele de vida e de 2015 para cá, as contradições dele. Mais à frente isso vai ser avaliado pela população”, disparou.

STF

Jarbas e Raul aguardam, agora, que o Supremo Tribunal Federal (STF) avalie se há conflito de competência no fato de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter derrubado, na última segunda-feira, a liminar da Justiça pernambucana que suspendia o processo de dissolução da legenda. A dupla também protocolou um agravo junto ao próprio TSE contra a decisão do ministro Admar Gonzaga de liberar o prosseguimento da intervenção.

FILIAÇÃO

FBC, por sua vez, começou a cumprir a promessa de que traria novos quadros para o MDB e filiou, ontem, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, ao partido. Ele anunciou que permanece à frente da pasta até o dia 5 de abril, quando deve retomar o seu mandato de deputado federal para disputar as eleições deste ano. O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, hoje no PSB, deve assinar a sua filiação no MDB ainda nesta semana.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara