Professores do Estado aceitam acordo salarial com gestão Paulo Câmara


agencia JC/Mazella

Os professores do Estado aceitaram, em assembleia, proposta financeira do Governo do Estado em sua campanha salarial de 2018.

A negociação ocorreu entre uma comissão formada por diretores e filiados ao Sintepe (Educação do Estado de Pernambuco) com as secretarias de Administração e de Educação.

A proposta apresentada pelo Governo e aprovada pela categoria estabelece percentual de 6,81% no salário dos professores que está abaixo do Piso Nacional do Magistério, que em 2018 vale R$ 2.455,35. A implantação será realizada em maio e o pagamento dos meses retroativos, de janeiro até abril, serão pagos em duas parcelas em julho e agosto.

Para os professores com salários acima do Piso do Magistério, o mesmo percentual de 6,81% chegará em outubro, sem pagamento retroativo dos meses anteriores.

Para funcionários administrativos e analistas, foi proposto pelo Governo do Estado uma gratificação que será afixada em R$ 127,00, também, a partir do mês de outubro.

Em relação aos professores que trabalham por contratos temporários, também haverá aumento salarial no percentual de 6,81%, que será implantado em dezembro deste ano.

De acordo com a entidade sindical, a grande maioria dos presentes protestou contra as condições oferecidas pelo Governo do Estado, mas a avaliação da proposta tomou por base os prazos da Legislação Eleitoral que estabelece limite para reajustes salariais de servidores até o dia 6 de abril.

“Se não é a proposta ideal nem a proposta das nossas expectativas, tira praticamente do zero a discussão inicial. O Governo queria apenas contemplar professores e professoras com o reajuste do Piso para aqueles que estão abaixo do piso atual de R$ 2.455,35. Mas nós tivemos a condição de garantir que todos os segmentos da categoria fossem contemplados com o percentual de 6,81%”, disse Fernando Melo, presidente do Sintepe.

Postagens mais visitadas deste blog

ZÉ ELIAS CONCEDE ENTREVISTA E FALA SOBRE O MOMENTO DIFÍCIL QUE ESTÁ PASSANDO

EDILSON TAVARES, UM OUTSIDER QUE DEU CERTO