Opinião do Leitor, por Willamy Feitosa

Quem está fora vê sem paixão... Há exato 02 (dois) anos recebi o convite para trabalhar no Litoral Sul de Pernambuco, onde estou cumprindo minha missão (nas cidades de Rio Formoso, São José e Sirinhaém), porém sempre que posso vou a Santa Cruz do Capibaribe e quando não vou, Santa Cruz vem até mim (através dos amigos que me visitam), e faço a seguinte avaliação: Santa Cruz está mudando de feição, das últimas vezes que vi a terrinha, percebi melhoras no que tange ao visual da cidade, vi a cidade limpa, com um trânsito um pouco mais organizado e melhorias como: A praça de alimentação (ao lado do Supermercado Mercadão), o Calçadão, a melhor utilização do parque florestal e a bolsa universitária, esta última uma grande conquista! Contudo não vi melhoras nos bairros mais afastados do centro, vi muita buraqueira que lembrou o período de Toinho. 

Liderança I

“A partir do momento em que você para de aprender, também para de liderar. Se quer liderar, precisa aprender. Se pretende continuar liderando, não pode parar de aprender.” (MAXWELL). Cresci vendo um líder já em atuação, esse líder foi José Augusto Maia, durante muito tempo ele aglutinava gerações com o som de sua voz. Porém, desde 2008 começamos à assistir os deslizes de alguém que não conseguia mais aprender e que tinha grande dificuldade em receber críticas. Em plena campanha de 2008 (Edson x Toinho) durante visitas agendadas às fabricas, o telefone tocava com a seguinte mensagem: Não leva Zé, só chega com Toinho por que a família tá chateada devido a algum desgaste (do na época “líder”). Quando chegou o primeiro ano de Toinho na Prefeitura, se iniciou uma guerra fria entre Toinho e Zé, e o resultado sabemos qual é. Depois do desastre do governo de Toinho, em plena campanha de 2012, a desunião do grupo era nítida, a Prefeitura estava inoperante, e os afagos de Toinho (no palanque) a Zé era pura falsidade, e os pequenos líderes do chamado “grupo taboquinha”, não podiam opinar, em nenhum momento, pois o “ Líder Supremo” não aceitava a opinião de ninguém e levava a campanha como se ele fosse o Zé do microfone na mão que arrastava sonhos e multidões no início dos anos 2000. 

Liderança II

A cada dia o “Líder” que deixou de “aprender” perde mais e mais aliados, não só por causa do governo Vieira, mas pela falta de diálogo de Zé com setores mais “racionais” do grupo taboquinha. Zé gosta mesmo de ouvir a turma dos elogios (babão) e prá piorar quem discorda de Zé é tratado por ele como adversário, mesmo dentro do próprio grupo, assim como em 2009 ele não aceita ser liderado ou dividir a liderança, pois não quer ver o surgimento de um novo líder, Zé a cada dia se acaba pela falta de inovação e vontade de aprender.

FALTA ENERGIA E FALTA DE VERGONHA


por Paulo Moreira Leite

Não dá para falar no perigo da falta de energia sem debater quem fez campanha permanente contra hidroelétricas

É inacreditável. Os cortes de energia ocorridos nos últimos dias têm sido usados por economistas e observadores ligados à oposição para sua revanche diante dos benefícios obtidos pela população mais pobre nos últimos anos e tentar desgastar o governo.

O argumento é sentimental: dizer que ocorreu uma grande ampliação do consumo, em particular de eletro-domésticos, mas lamentar em tom lacrimoso que não houve um aumento correspondente na oferta de energia.

O truque é esconder o que ocorreu com nossa oferta de energia — e quem é responsável pelo que acontece agora. Não estamos falando de um episódio que aconteceu ontem ou na semana passada nem há dois anos, mas de uma política de décadas.

Qualquer que seja a causa real para os cortes de energia dos últimos dias, a verdade é que o país estaria em situação muito mais segura e confortável se não tivesse sido obrigado a enfrentar — e ceder — diante de pressões poderosas, ocupadas em atrasar os principais investimentos no setor, com argumentos razoáveis, absurdos ou apenas estúpidos mas que, na prática, apenas contribuíram para enfraquecer o desenvolvimento do país. O governo Lula-Dilma encontrou o dinheiro, fez o projeto, definiu como seria feito — mas foi impedido de seguir em frente, por campanhas políticas, de marketing, ou através da judicialização do debate.

Segunda maior hidroelétrica do país, a terceira maior do mundo, Belo Monte é um projeto de três décadas, que sofre um massacre sistemático e agressivo, inclusive campanhas internacionais com estrelas de Hollywood, onde se multiplicaram ações na Justiça e repentinas preocupações com o bem-estar dos trabalhadores dos canteiros de obras apenas para justificar o apoio a todo tipo de paralisação. Poderia estar pronta, contribuindo para acender lâmpadas no país inteiro, mas só vai entrar em funcionamento no ano que vem. Irá produzir menos da metade de seu potencial porque a pressão ecológica levou a uma reforma do projeto para agradar entidades ambientais.

Contra a usina de Madeira se insurgiram os amigos de um tipo especial de bagres que se reproduzem pelo rio — e poderiam ser ameaçados pelas turbinas.

Faça sua lista e não esqueça de incluir as usinas nucleares que, de uma forma ou de outra, asseguram energia para a maioria das sociedades desenvolvidas, inclusive aquelas que financiam milionárias entidades ecológicas abaixo da linha do Equador. Não pense em teorias da conspiração.

É disputa de interesses, pura e simplesmente, tão antiga como a história do capitalismo. Falando na forma de caricatura, apenas para tornar as questões mais claras: houve uma época na qual as potências mundiais usavam a religião para submeter os povos da América e da Ásia com a ameaça do inferno cristão. Hoje, a ameaça de destruição da Terra serve como argumento ideológico para manter tudo como está — e azar de quem ainda não possui aquilo que necessita e tem direito.

É claro que Marina Silva tem explicações a dar nesse debate, vamos combinar. Suas responsabilidades são óbvias, ainda mais como candidata presidencial, que se apresenta como porta-voz da natureza ameaçada. Emprestou um prestígio adquirido na luta popular para causas que nada têm a ver com a melhoria no bem-estar das maiorias. Ajudou a dividir a resistência brasileira para defender o direito ao desenvolvimento. Mas não só.

Esse discurso só tem ressonância porque expressa interesses muito maiores, que nada têm a ver com os brasileiros que lutam dia e noite por um destino melhor na floresta — mas às grandes forças que sempre governaram o mundo e trabalham diariamente para manter tudo como está. Não foi por acaso que o esforço do PSDB para ampliar nosso parque energético esteve perto da nulidade.

Não se trata de negar a importância de medidas preservacionistas. Elas podem e dever ser estimuladas. A questão é de prioridade: preservar a natureza ou o status quo? Para quem? Para beneficiar o que?

O debate é este.

Vereador propõe suspensão do Carnaval para conter crise hídrica em São Paulo

Por David Shalom , iG São Paulo

Em entrevista ao iG, ex-candidato a governador Gilberto Natalini (PV) diz que, apesar dos impactos financeiros, cidade não tem condições de promover grandes eventos em 2015

As chuvas tão esperadas para o verão não vieram. A cada dia, os reservatórios que abastecem a capital paulista perdem volume. Devido à situação, o vereador Gilberto Natalini (PV-SP) decidiu enviar nesta semana aos governos municipal e estadual um ofício que propõe uma medida drástica para, segundo ele, amenizar a crise hídrica paulista: suspender os festejos do Carnaval de 2015.

"Os sambistas vão ficar com raiva, lógico, mas quando faltar água na torneira do cara ele vai ver que é o melhor a se fazer", afirma Natalini, candidato ao governo de São Paulo nas eleições do ano passado e um dos legisladores mais atuantes do município em projetos ambientais, um dos focos do partido em que atua.

Gilberto Natalini durante debate com candidatos ao governo de São Paulo, no ano passado

A medida é polêmica por uma série de questões. Centenário, o evento é responsável por atrair anualmente cerca de 120 mil turistas à capital paulista, de acordo com a Prefeitura, contingente que mobiliza o setor hoteleiro, gastronômico e de entretenimento da cidade. Além disso, de acordo com a São Paulo Turismo (SPTuris), o investimento médio de cada uma das 14 escolas do Grupo Especial, a elite da festa, é de R$ 2,5 milhões anuais. 

Além disso, há ainda os blocos de rua, cada vez mais populares na cidade, responsáveis por atrair mais de 4 milhões de pessoas em 2014. Só no ano passado, a Prefeitura paulistana investiu R$ 33,9 milhões na festa, perdendo apenas para o Rio de Janeiro no quesito – apenas para as agremiações, foram repassados R$ 700 mil para o preparo dos desfiles.

"É claro que estou consciente com o transtorno para a economia que uma medida dessas faria. Mas, pergunto, como vamos falar em economia sem água, sem energia?", questiona Natalini. "Os governos precisam parar de brigar e passar a enfrentar o problema de maneira séria, conversando com a população e expondo os sacrifícios necessários, inclusive a suspensão do Carnaval. Acho que seria uma medida exemplar para dar um choque de realidade na população e nos governantes."

Veja o cenário desolador das reservas de água de São Paulo:


Muito além da fantasia

Não é só a realização do Carnaval que incomoda o vereador em meio à pior crise hídrica da história, aos poucos assumida como gravíssima pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e pelo governo paulista. Natalini acredita que, enquanto a capital e o interior se virem na iminência de as torneiras da população secarem, é preciso cortar todo e qualquer grande evento realizado na região. O que inclui, entre outros, a Parada Gay, a Virada Cultural e a Fórmula 1, festas já tradicionais no calendário paulistano que atraem milhões de espectadores anualmente.

Começam nesta segunda (26) as inscrições para o #Prouni

Começam amanhã as inscrições para o ‪#‎Prouni‬, programa que democratizou o acesso ao ensino superior no Brasil, oferecendo 1,5 milhão de bolsas de estudo para estudantes carentes em universidades privadas. Não fique de fora! http://goo.gl/iNitU


quem pode participar

Para se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni) 1º/2015 é preciso ter participado do Enem 2014 e ter obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do Exame. É preciso, ainda, ter obtido nota acima de zero na redação.

Para efetuar a inscrição no Prouni 1º/2015, o candidato deve informar seu número de inscrição e sua senha no Enem 2014.

o que é o Prouni

É um programa do Ministério da Educação, criado pelo Governo Federal em 2004, que concede bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de ensino superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros, sem diploma de nível superior.

Podem participar:

- Estudantes egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular na condição de bolsistas integrais da própria escola;

- Estudantes com deficiência;

- Professores da rede pública de ensino do quadro permanente que concorrerem a cursos de licenciatura, nesse caso não é necessário comprovar renda.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

26/01 a 29/01
Período de inscrições

02/02
Resultado da 1ª chamada

02/02 a 09/02
Comprovação de informações da 1ª chamada

19/02
Resultado da 2ª chamada

19/02 a 24/02
Comprovação de informações da 2ª chamada

02/03 e 03/03
Prazo para participar da Lista de Espera

10/03 e 11/03
Comparecimento dos candidatos para entrega da documentação

Confira as bolsas ofertadas

Veja as bolsas disponíveis nas Instituições de Ensino Superior. Pesquisar bolsas

Rodrigo Novaes decide disputar presidência da Alepe contra Guilherme Uchoa

Do Blog do Jamildo
Rodrigo Novaes critica autoritarismo de Uchoa. Foto: João Bita/Alepe.

O deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD) bateu o martelo na noite deste sábado (24) e decidido disputar a presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) contra o atual presidente Guilherme Uchoa (PDT), revelou um aliado do deputado ao Blog de Jamildo. A expectativa é que ele tenha o apoio do Solidariedade e do PR.

No final da noite, Rodrigo Novaes divulgou uma nota confirmando a decisão do grupo político ligado a ele de lançar uma candidatura à Mesa Diretora da Assembleia, como havia adiantado o Blog de Jamildo. Leia ao final do texto.

Novaes já vinha defendendo a necessidade de renovação na presidência da Alepe e pregado uma possível candidatura do PSB. Os socialistas, porém, estão tendo dificuldades de lançar um nome para bater de frente com Uchoa. A decisão de Novaes de lançar candidatura pode significar que o PSB desistiu de ter candidato.

Além do atual presidente, que tenta o quinto mandato consecutivo no comando da Casa, o deputado Edilson Silva (PSOL) já lançou sua candidatura. No PSB, o nome cotado era o do líder do Governo, Waldemar Borges. Parte da bancada de oposição já declarou voto em Uchoa.

Nos últimos dias, Novaes havia subido o tom das críticas ao atual presidente da Alepe e comparado Guilherme Uchoa com um ditador.

O deputado do PSD também vinha cobrando a divulgação de um parecer da Procuradoria Geral da Alepe sobre a constitucionalidade da candidatura do pedetista; que vem sendo questionada pela OAB.

Leia a nota divulgada pelo deputado:

Nota

Realizamos nossa reunião no dia de hoje para finalizar a importante tarefa de aferir as auscultas feitas durante toda a semana e a repercussão dos fatos nas redes sociais e na imprensa.

O sentimento é de irresignação pela possível postulação e registro da candidatura do atual presidente da Assembleia, diante da ofensa ao princípio da impessoalidade que deve reger toda administração pública (art.37 da Constituição Federal), e desrespeito ao que determina a Constituição do Estado, que limita a reeleição em uma única possibilidade (princípio da legalidade).

Ouvimos ex-governadores, ex-parlamentares, deputados federais e estaduais, senadores, presidentes de partidos, além de professores, magistrados, juristas, profissionais liberais, estudantes, representantes da sociedade organizada.

Disso, afirmamos:

1) A Assembleia Legislativa representa o povo de Pernambuco, e como tal, não pode estar distante dos ideários sociais;

2) cada parlamentar representa uma parcela da população que creditou em seu representante a confiança de defender o Estado e a melhor condição de vida para a população;

3) as eleições para a mesa diretora da Assembleia não podem ser tratadas somente como uma questão interna, haja vista as atribuições inerentes a seus membros;

4) no caso da eleição do próximo dia 01 de fevereiro, há uma peculiaridade que tem despertado o interesse de vários segmentos da sociedade. Mais que isso, necessário cuidado.

Fruto dessas considerações, decidimos que não há outro caminho senão o enfrentamento por parte de nosso campo, apresentando um nome para a disputa da presidência.

Assessoria de imprensa – Dep. Rodrigo Novaes

Onda de violência atinge o Distrito de Pão de Açúcar e moradores protestam

Moradores do Distrito de Pão de Açúcar inconformados com a onda de violência que os atinge, resolveram fechar a PE 160, principal via de acesso ao maior Parque de Confecções do Brasil, o Moda Center Santa Cruz


A interdição aconteceu, segundo os moradores, por causa do descaso das autoridades competentes que "prometeram muito, mas não cumpriram" e o "distrito está entregue a bandidagem". São arrombamentos e assaltos à luz do dia, vitimando "trabalhadores que perderam o sossego".

Nos últimos 30 dias os ilícitos aumentaram deixando a população da "Terra da Camisaria" indignada com o total abandono a que foram confinados. Segundo o Blog Pão de Açúcar News os dois anexos da polícia militar existentes no Distrito na maioria do tempo fica de portas fechadas e até dois telefones celulares que foram doados para a polícia, com o intuito de melhorar a comunicação com a população, muitas vezes não funciona.

Diante de tudo isso moradores tocaram fogo em pneus e pararam o trânsito na PE 160 no início da noite desse sábado (24). Em poucos instantes viaturas da polícia chegaram ao local, e negociaram com os manifestantes para que o acesso fosse liberado. A sugestão da polícia foi que fosse formada uma comissão para tratar diretamente com os responsáveis pela segurança e o protesto foi desfeito e a via liberada.

O estopim para que houvesse tal protesto foi o assalto que aconteceu no Distrito, na manhã do mesmo dia, onde um trabalhador foi ferido a bala por duas vezes. Segundo a família da vítima ele não corre risco de morte.

Um ano que começa manchado por violência que promete aumentar caso a Polícia Militar entre em greve como chegou a ameaçar semana passada. 

O governador Paulo Câmara precisa urgentemente tomar providências e efetivar ações o mais rápido possível para que a população possa transitar livremente sem o risco de ser assaltado ou morto nas ruas ou mesmo dentro de suas casas.

GOOGLE MAPS
Com informações de Arrudinha e Alberes Xavier
Fotos Blog Pão de Açúcar News

Ibope divulga nova pesquisa para o 2º turno da eleição presidencial

Foram divulgados os números da nova pesquisa Ibope sobre a disputa do 2º turno da eleição presidencial entre Fernando Haddad e Jair Bolsona...

POSTAGENS MAIS ACESSADAS