Em 8º aumento consecutivo, Banco Central eleva Selic para 10,75%

Em reunião realizada nesta quarta-feira (2), o Copom 
aplicou alta de 1,5 ponto percentual

Por Lívia Carvalho

Legenda: Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros com alta da inflação
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, por unanimidade, elevar a taxa básica de juros (Selic) da economia de 9,25% para 10,75% em reunião realizada nesta quarta-feira (2). Este é o oitavo aumento seguido e o maior patamar dos últimos quatro anos.

"A nova onda da Covid-19 adiciona incerteza quanto ao ritmo da atividade, ao mesmo tempo que pode postergar a normalização das cadeias globais de produção", afirmou o Comitê.

A elevação para um patamar de dois dígitos já era esperada pelo setor econômico, uma vez que o relatório "Focus", divulgado pelo BC na segunda-feira (31), já projetava a alta da Selic.

De acordo com o Focus, a expectativa é de que a Selic chegue a 11,75% já em março deste ano, por causa da alta da inflação. Em 2021, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou com alta de 10,06%.

Impacto da inflação

Em carta aberta publicada no dia 11 de janeiro, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, atribuiu que a elevação de preços das commodities, a bandeira de escassez hídrica da energia elétrica e desequilíbrios entre demanda e oferta dos insumos são causadores da alta da inflação.

"De fato, a aceleração significativa da inflação em 2021 para níveis superiores às metas foi um fenômeno global, atingindo a maioria dos países avançados e emergentes", disse.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre