As duas árvores, por *Dário Gomes

A vida e a ciência

Imagem da internet

E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado. E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

Gênesis 2:8,9.

Tudo se inicia em Deus, Deus é o princípio de tudo. Deus é vida e, sem vida nada se pode fazer, porque vida é existência,  é a própria razão do ser. Estar vivo é um estado de quem vive, se vive é porque há vida, isso é óbvio, logo em seguida à vida vem a ciência, essa nos dá o entendimento  do que há em nosso redor, nossos sensores naturais nos capacitam a termos uma noção das reações em torno de nós, sem mesmo a compreendermos.

Uma criança nasce no puro aberto, não tem conhecimento algum, porém sente frio, calor, cheiro, fome e isso acontece de forma natural, com o passar do tempo vem o conhecimento e só então, vida ciência e conhecimento se completam de forma tão harmoniosa que se torna impossível desvincula-las.com o conhecimento vem o medo, ansiedade, ódio, amor, alegria e outras coisas relacionadas aos sentimentos humanos.

Quando Deus plantou o jardim Ele o proveu de duas árvores: (Gn 2.09).

1.    A árvore da Vida e

2.    A árvore do conhecimento.

A primeira tinha a função única de representar a vida a tudo e a segunda representa o conhecimento abrindo-nos o leque da ciência para o entendimento de tudo que está à nossa volta.

Primeiro Deus nos deu vida e essa era suficiente para suprir tudo que o homem necessita. È importante salientar que, se o homem não tivesse transgredido a uma ordem divina, ele viveria num mundo sem maldade, sem pecados e teria, dia a pós dia, o contato direto e diário com Deus como se fazia anteriormente. Ao transgredir a ordem divina o homem então teve que participar da segunda árvore a do conhecimento da ciência e do bem  e do mal, até porque agora ele perdera a comunhão com Deus e teria que lançar mão do conhecimento e da ciência , se assim quisesse sobreviver. Nesse ínterim, a árvore da ciência se torna muito importante para a manutenção do ser humano na terra, sem a qual seria impossível vivermos como seres humanos.

Um dia, Deus restaurará  seu povo à mesma condição que o homem tinha antes  do pecado e então viveremos na completa dependência do Altíssimo e nunca mais a ciência humana nos dominará, e para nossa vitória a morte nunca mais nos atingirá.

*Dário G. de Araujo é Evangelista e atualmente serve como gestor das Assembleias de Deus em São José do Egito - PE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado