Plenária reúne 12 secretarias estaduais para debater segurança alimentar e nutricional

Objetivo é fortalecer a transversalidade de ações voltadas à garantia de acesso permanente, de qualidade e em quantidade suficiente a alimentos por todas as pessoas

 

Gestores de 12 secretarias estaduais e de seis órgãos componentes da Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional de Pernambuco (Caisan-PE) participaram, nesta terça-feira (13), da primeira plenária secretarial em regime presencial após a fase mais aguda da pandemia. O objetivo foi trocar experiências sobre ações no que concerne à promoção do acesso regular e de forma permanente, por parte de todas as pessoas, a alimentos de qualidade e em quantidade suficiente, considerando o contexto de retorno do Brasil ao Mapa da Fome e de enfraquecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan).

 

Em direção oposta à nacional, o fortalecimento dessa política vem em uma crescente em Pernambuco, passando por marcos como a criação do Sistema Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Sesans), em 2008, e a adesão ao Sisan, em 2011, além da constituição da Caisan e da atuação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). O Governo do Estado, o único do Brasil a concluir o prazo de entrega do primeiro plano estadual relativo a essa temática, em 2012, já prepara a terceira edição do documento, ainda para 2022. A política estadual para a área agrega iniciativas como Pernambuco que Alimenta, Tá na Mesa PE, 13º do Bolsa Família, Mãe Coruja, Sistema Integrado de Saneamento Rural, Chapéu de Palha, Água para Todos, Horta em Todo Canto, Água Doce, Alimentação Escolar e Sopa Amiga, realizadas por várias secretarias.

 

O secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Edilazio Wanderley, que preside a Caisan-PE, destacou o aprendizado coletivo que experiências como essas proporcionam para os gestores públicos envolvidos com a Política de Segurança Alimentar e Nutricional. “Temos diversas ações sendo realizadas na área de saúde, educação, agroecologia e que, na nossa visão, convergem para o desenvolvimento social, que é o desenvolvimento das pessoas. Quando você viabiliza que a água chegue à torneira de uma casa na zona rural, você está proporcionando segurança alimentar e nutricional. É algo, portanto, que vai além da assistência social. É sobre esta transversalidade que estamos falando e que devemos buscar fortalecer”, afirmou.

 

Também estiveram presentes, como componentes da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, o secretário executivo de Assistência Social e vice-presidente da Caisan-PE, Altair Correia, e a superintendente estadual das Ações de Segurança Alimentar e Nutricional, Mariana Suassuna. A plenária ainda contou com a participação de integrantes das secretarias de Planejamento e Gestão, de Educação e Esportes, de Saúde, de Justiça e Direitos Humanos, de Desenvolvimento Agrário, da Mulher, de Meio Ambiente e Sustentabilidade, de Ciência, Tecnologia e Inovação, de Desenvolvimento Econômico, de Infraestrutura e Recursos Hídricos e de Trabalho, Emprego e Qualificação, além de órgãos vinculados.

Imagem: Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre