Deputados pedem cassação de Douglas Garcia na Assembleia de SP após ofensas a jornalista

Por Daniel Vila Nova
Estadão

Emídio de Souza e Paulo Fiorilo, do PT, e Isa Penna, do PSOL, alegam que parlamentar apoiador de Tarcísio de Freitas e Bolsonaro quebrou decoro parlamentar ao hostilizar Vera Magalhães nos bastidores do debate da TV Cultura

Os deputados estaduais Emídio de Souza (PT-SP) e Paulo Fiorilo (PT-SP), assim como Isa Penna (PSOL-SP), protocolaram pedidos de cassação do mandato de Douglas Garcia (Republicanos-SP) na Assembleia Legislativa de SP. As duas ações, uma organizada pelos dois petistas e a outra feita pela psolista, ocorrem após Garcia hostilizar a jornalista Vera Magalhães na noite de terça-feira, 13, nos bastidores da TV Cultura.

Leia também
De forma truculenta, o deputado estadual abordou Vera no final do debate ao governo do Estado de São Paulo e afirmou que ela era “uma vergonha para o jornalismo brasileiro”, ecoando a fala do presidente Jair Bolsonaro (PL) no primeiro debate presidencial da campanha, na Band TV, ocorrido no dia 28 de agosto.

Douglas Garcia hostiliza Vera Magalhães

O Conselho de Ética da Alesp afirmou, por meio de uma nota enviada à imprensa, que irá apurar as denúncias em relação à conduta do deputado Douglas Garcia. “A Alesp não compactua e repudia condutas ofensivas e desrespeitosas, sempre prezando pelo respeito, diálogo e tolerância entre todos”, relata o comunicado.

Nas redes sociais, Carlão Pignatari (PSDB-SP), presidente da Alesp, e Maria Lúcia Amary (PSDB-SP), presidente do Conselho de Ética da Alesp, prestaram suas solidariedades à Vera Magalhães e repudiaram o comportamento de Garcia. “Como mulher, repudio veementemente este tipo de comportamento e me solidarizo com a jornalista Vera Magalhães, que estava no exercício do seu trabalho”, afirmou Maria Lúcia em suas redes sociais.

Souza e Fiorilo também comentaram o caso em seus perfis no Twitter. “Basta! Vamos por fim a esse tipo de agressão covarde que nossa sociedade não pode mais tolerar”, disse Souza. “Nojo desse tipo de pessoa que se esconde na imunidade parlamentar para intimidar e agredir”, afirmou Fiorilo.

A peça apresentada por Isa Penna afirma que Douglas Garcia, “além de quebrar o decoro parlamentar com frases absolutamente machistas e misóginas, infringiu regramentos legais de envergadura internacional dos quais o Brasil é signatário”.

A deputada ainda diz que “casos como estes infelizmente detém a presunção dos agressores de, pelo fato de ocuparem espaços em que os privilégios naturalizam a misoginia, conseguem praticar confortavelmente a conduta sexista que estereotipa mulheres em ideais de submissão e resiliência.”

O ex-prefeito e candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), também cobrou a cassação em suas redes sociais. “Deputado que agride ou assedia jornalista deve ser cassado por falta de decoro. Vamos transformar a Assembleia Legislativa de SP em território livre da misoginia”, afirmou o petista em seu perfil no Twitter.

O ocorrido na noite de terça-feira, no entanto, está longe de ser a primeira polêmica de Douglas Garcia. O parlamentar bolsonarista foi condenado por vazar dados pessoais de opositores, teve seu mandato suspenso por veicular informações falsas e foi advertido pelo Conselho de Ética da Alesp após fazer declarações transfóbicas.

Seu convidado no debate de ontem, o candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) condenou as falas de Garcia e afirmou, em suas redes sociais, que “essa é uma atitude incompatível com a democracia e não condiz com o que defendemos em relação ao trabalho da imprensa”.

O próprio Douglas Garcia postou um vídeo no qual pede desculpas a Tarcísio pelo ocorrido, mas não à jornalista Vera Magalhães. “Não me arrependo de absolutamente nada do que fiz hoje. Se é para pedir desculpas para alguém, não é para jornalista nenhum. Tenho que pedir desculpas ao Tarcísio. Eu sou adulto, Tarcísio é adulto, nós sabemos que essa questão de responsabilidade conjunta é uma coisa que a imprensa tenta incutir nas cabeças das pessoas”, afirma o deputado no vídeo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre