Garanhuns ganha cozinha comunitária implantada com recursos estaduais


Equipamento terá capacidade para produzir 200 refeições diárias e vai atender população em insegurança alimentar e nutricional

 

Após o repasse de recursos estaduais para a implantação e retomada do funcionamento das cozinhas comunitárias em Pernambuco, a cidade de Garanhuns, no Agreste, inaugurou, nesta sexta-feira (15), a sua unidade. O equipamento terá capacidade para produzir 200 refeições diárias para a população em situação de insegurança alimentar e nutricional. A solenidade de inauguração contou com a presença do governador Paulo Câmara, do secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Edilazio Wanderley, e do prefeito Sivaldo Albino.

 

As cozinhas comunitárias são equipamentos públicos de educação e segurança alimentar e nutricional que atuam no enfrentamento à fome. As unidades fazem parte do programa estadual Tá na Mesa PE, que oferta cofinanciamento através do sistema de transferência do Fundo Estadual para os Fundos Municipais de Assistência Social. A iniciativa foi criada em 2021 como parte do Plano Retomada, planejamento estratégico construído pelo Governo do Estado para impulsionar o desenvolvimento econômico e social de Pernambuco após o período mais rigoroso de enfrentamento ao novo coronavírus.

 

Inicialmente, era prevista a oferta de investimentos para 97 unidades, com aportes de R$ 32 milhões. Em 2022, contudo, a gestão estadual determinou a universalização das cozinhas comunitárias, garantindo recursos para ampliação ou reabertura dos equipamentos em todos os municípios pernambucanos.

 

“Nos últimos anos, tem aumentado o número de brasileiros que têm passado cotidianamente por experiências de fome. Principalmente nesse momento, equipamentos como as cozinhas comunitárias geram impactos importantes na vida das pessoas mais pobres”, pontuou o secretário Edilazio Wanderley. “Além disso, é importante destacar que as unidades vão priorizar o uso de produtos da agricultura familiar para que o espaço promova também o desenvolvimento da economia local, o incentivo aos trabalhadores rurais e o fortalecimento da identidade gastronômica de cada região”, completou o gestor.

 


TÁ NA MESA PE – Pernambuco já dispõe de 28 unidades em funcionamento em 26 municípios. Desse quantitativo, 14 estavam em operação e outras 14 estavam paralisadas. A partir da autorização de repasse de recursos, as unidades em atividade recebem R$ 6 mil durante 12 meses, valor usado para aumentar a capacidade de produção, enquanto a outra parte recebe R$ 12 mil durante o mesmo período, montante destinado à reabertura e também à ampliação da produção. Outras 69 cozinhas estão em fase de implantação e outras 83 em fase de assinatura de termo de aceite por parte dos municípios. Os dois grupos recebem R$ 50 mil em investimento em parcela única e R$ 12 mil para custeio, em 12 parcelas.

Imagens: Helia Scheppa/SEI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre