Deputada Alessandra Vieira recebe homenagem do GAC-PE


A deputada é autora da lei 17.233, de 29 de abril de 2021, que institui a Política Estadual de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente com Câncer

O Grupo de Apoio à Criança Carente com Câncer de Pernambuco (GAC-PE) homenageou a deputada estadual Alessandra Vieira em agradecimentos à emenda parlamentar destinada à instituição e ao empenho da deputada à causa. Alessandra é autora da lei 17.233, de 29 de abril de 2021, que institui a Política Estadual de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente com Câncer, cujo objetivo é buscar o aumento dos índices de cura e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes. “Somos servidores para servir especialmente aos que mais precisam, aos mais vulneráveis. A causa do GAC é muito nobre e merece muito a nossa atenção e respeito”, frisou Alessandra durante visita ao GAC, nesta segunda-feira (27/06). Ela foi recebida pela presidente da instituição, Dra. Vera Morais.

A emenda no valor de R$ 30 mil foi destinada para o Grupo e direcionada à contratação de duas pedagogas que atuarão na brinquedoteca, um dos locais preferidos das crianças. Elas irão fazer planejamentos e executar as atividades lúdicas, importantes para ocupar o tempo e a mente das crianças em tratamento. “Nós precisamos diariamente da ajuda de todos e todas que possam colaborar conosco de alguma forma. Alessandra tem compromisso com os nossos pacientes e por isso a nossa gratidão e homenagem”, explica Dra. Vera. “Nosso acolhimento não é só às crianças e adolescentes doentes, mas também às suas mães e famílias que, na maioria das vezes, não têm as condições mínimas para se manter durante o tratamento”, acrescenta a médica.

Além dos pacientes, o GAC oferece apoio às mães das crianças e adolescentes em tratamento através do acompanhamento por equipes multidisciplinares que buscam entender as dificuldades enfrentadas não só durante o período de internação, mas também quando elas recebem alta hospitalar, com a doação de cestas básicas e roupas, por exemplo. “Muitas mulheres abrem mão das suas vidas para cuidar dos seus filhos. As crianças têm as mães e as mães têm a quem? Esse trabalho de acolher as famílias com certeza faz toda a diferença na evolução do tratamento dos pacientes”, reforça Alessandra.

Também de autoria de Alessandra, tramita pelas comissões da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o Projeto de Lei Nº 2260/2021, onde a parlamentar propõe a implantação do Programa “Fique Atento, Pode Ser Câncer”, iniciativa do GAC-PE, na Rede Estadual de Saúde, para a qualificação de profissionais de saúde no atendimento e na suspeição dos sinais e sintomas na fase inicial do câncer.

CÂNCER INFANTO-JUVENIL - De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer é a primeira causa de morte por doenças entre crianças e adolescentes de um a 19 anos no Brasil. Mas cerca de 80% das crianças e adolescentes com câncer podem ter a perspectiva de cura quando diagnosticados de maneira precoce e tratados em unidades especializadas. O mesmo estudo ainda aponta que devem ocorrer em 2022, pelo menos, 8.460 casos de câncer infantojuvenil no Brasil.

Fotos: Ray Evllyn/GAC-PE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre