Bolsonaro quer impedir que governadores e prefeitos comprem vacinas, diz colunista


IstoÉ

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “corre para evitar que estados e municípios comprem as vacinas que a União negligenciou”, diz o colunista Josias de Souza, do UOL.

De acordo com o texto, um executivo do Ministério da Saúde disse que Bolsonaro foi “taxativo” na ordem que deu ao general Eduardo Pazuello ao dizer que não admite que um consórcio de prefeitos ou aliança de governadores negocie a compra de vacinas com fabricantes.

Pressionado por governadores, o ministro Pazuello agora tenta negociar contratos com laboratórios como a Pfizer, Johnson & Johnson e Moderna, para a compra de vacinas contra a Covid-19.

No entanto, o próprio governo rejeitou várias propostas de fornecimento de vacinas, como da própria Pfizer, que chegou a oferecer 70 milhões de doses em agosto do ano passado, com previsão de entrega até o meio desde ano, que foi ignorada pelo governo Bolsonaro. Desse total, 3 milhões já teriam sido entregues até fevereiro e poderiam ter sido aplicadas nos brasileiros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz