Fábio Aragão se reúne com diretores da ASCAP e comunica que prédio do SENAI ficará com o município


O prefeito de Santa Cruz do Capibaribe Fábio Aragão, se reuniu na última quinta-feira (14),com os diretores da Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe (ASCAP), para discutir a permanência do SENAI no município e a retirada do projeto que doaria o prédio a entidade. Participaram da reunião, o prefeito Fábio Aragão, a diretoria da ASCAP e o secretário de Desenvolvimento Econômico e Agricultura, Marcelo Cumaru.

No início da semana, Fábio Aragão participou de uma reunião com o presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco (FIEPE) Ricardo Essinger e com a diretora regional do SENAI, Camila Barreto. Na ocasião, foi confirmada a permanência da instituição no município e com isto, o prefeito optou por retirar o projeto que doaria o prédio do SENAI à ASCAP.

Segundo o prefeito, o município tem muitos prédios alugados e esse local seria ideal para reduzir custos e garantir mais recursos para investir em obras na cidade. Fábio ainda ressaltou a importância de parcerias entre a prefeitura e as entidades. “É necessário ressaltar que a ASCAP vem desenvolvendo um excelente trabalho junto aos confeccionistas de Santa Cruz do Capibaribe. O trabalho prestado pela instituição contribui bastante com o crescimento da nossa economia e tanto a prefeitura como a ASCAP, buscam o mesmo propósito: capacitar e qualificar os jovens para o mercado de trabalho da melhor maneira possível. Pensando nisso, nos reunimos com a entidade para tratarmos da permanência do SENAI em Santa Cruz do Capibaribe e informarmos que o prédio voltará para o município. Compreendemos o intuito da entidade em ajudar Santa Cruz, mas chegamos à conclusão de que esse local será melhor aproveitado pelo poder público, uma vez que o SENAI se comprometeu em permanecer com os serviços prestados na cidade”, disse

Assessoria de Comunicação 
Fotos: Kinho Prado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Em 2020, Governo Bolsonaro gastou R$ 15 milhões em leite condensado