Saiba por que o MPF quer acareação à qual Flávio Bolsonaro não compareceu

Ministério Público quer comparar as versões que Flávio e o empresário Paulo Marinho deram sobre o suposto vazamento de informações a respeito de operação da Polícia Federal

CB Correio Braziliense

(crédito: Roque de Sá/Agencia Senado)

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, não foi a uma acareação com o empresário Paulo Marinho, nesta segunda-feira (21/9). Na ocasião, o Ministério Público Federal (MPF) tentaria verificar qual das duas versões — a do parlamentar ou a do empresário — sobre suposto vazamento da Operação Furna da Onça, em 2018, é verdadeira.

Em maio deste ano, Marinho disse ao MPF que Flávio soube com antecedência de informações sigilosas sobre a operação e, por isso, marcou uma reunião, realizada em dezembro de 2018, para debater estratégias de defesa. Flávio, por sua vez, ao falar como testemunha no caso, admitiu ter pedido e realizado uma reunião com o empresário, mas negou o vazamento de informações sobre a Furna da Onça, realizada a partir de novembro daquele ano.

A acareação, na qual Flávio e Marinho ficariam frente à frente, ocorreria nesta segunda-feira na sede do MPF no Rio de Janeiro. O empresário compareceu, mas o senador, não. O advogado de Flávio disse ele cumpria agenda oficial no Amazonas e pediu para que a acareação ocorra em 5 de outubro, no gabinete dele, em Brasília.

Após a divulgação de que não havia comparecido à acareação, Flávio passou a ser criticado na redes sociais por adversários. As críticas aumentaram depois que foi divulgado um vídeo em que o senador aparece em um programa de televisão amazonense cantando e dançando.

Operação chegou a Queiroz

Desdobramento da Lava-Jato no Rio de Janeiro, a Operação Furna da Onça apontava loteamento de cargos públicos e pagamento de propina a deputados na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Foi durante as investigações que se descobriu uma movimentação financeira atípica de Fabrício Queiroz, ex-funcionário do gabinete de Flávio Bolsonaro, quando este era deputado estadual.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

Filho deve substituir Aragão candidato em Santa Cruz