Baixa contaminação na Construção Civil de PE traz alívio para a segunda fase da retomada


Mesmo seguro, o cenário atual orienta para a permanência dos cuidados a partir da próxima segunda-feira (22), quando os canteiros estarão com 100% do seu efetivo

Prestes a completar duas semanas de retorno das atividades, o setor da construção civil de Pernambuco já identifica uma melhora no quadro de controle da covid-19 nos canteiros de obras. Estudo feito pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), em parceria com a ADEMI e o Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pernambuco (Sinduscon), mostra que o número de trabalhadores infectados caiu 85,29% entre a primeira e a segunda semana de atividades.

Realizada junto a 42 empresas que estão em atividades, a pesquisa revela que a doença atingiu apenas 0,09% do total de 5.250 trabalhadores entre os dias 15 e 17 de junho. Ou seja, apenas cinco funcionários estavam afastados dos canteiros durante esta semana de referência, enquanto que, na primeira semana (entre os dias 8 e 10 de junho), o resultado era de 34 pessoas ou de 0,63% da força de trabalho.

A mesma observação vale para o número de suspeitos, que entre as duas semanas apresentou variação negativa de 58,75%. Na primeira semana, o percentual era de 1,48% (80 pessoas), e, na segunda, de 0,62% (33 pessoas). Essa conjuntura reforça que o controle adotado por parte das empresas sobre a situação da saúde dos seus funcionários chancela que o retorno às atividades não traz risco aos canteiros, seja porque há baixa incidência da doença, seja pela adoção de rígidos protocolos sanitários no ambiente de trabalho.

Outro ponto positivo que tem chamado a atenção dos empresários do segmento tem a ver com o número de óbitos, que, entre as semanas analisadas, não apresentou variação, permanecendo os mesmos 0,03% do total de trabalhadores, sendo este percentual referente ao período em que as atividades estavam suspensas.

O índice de recuperados também vem caindo, o que não quer dizer que seja ruim, uma vez que o dado está acompanhando a queda do número de infectados. Neste caso, na primeira semana, a recuperação atingiu 1,37% do total de trabalhadores, o que equivale a 74 pessoas curadas, e, na segunda, passou a ser de 0,51%, ou 27 pessoas.

De acordo com o presidente da Ademi, Gildo Vilaça, medidas como o reforço de álcool gel, os informativos disponibilizados e o horário alternado de almoço seguem ganhando escala dentro das empresas, o que vai contribuir para o controle da doença daqui para frente. “Isso só reforça que estamos cada dia mais aptos para a retomada plena, ao mesmo tempo que sabemos que o comportamento da doença deve ser observado dia após dia e é isso que estamos fazendo”, destacou. Na última quarta-feira (17), o Governo do Estado anunciou o retorno de 100% do efetivo a partir da próxima segunda-feira (22).

“Percebemos que esses números nos trazem certo alento. E as medidas tomadas pelas empresas vão ajudar no combate à doença neste retorno da atividade produtiva”, disse o presidente do Sinduscon, Érico Furtado. 

PESQUISA

O setor ficou, ao todo, 75 dias com as obras paradas, mas com o acompanhamento permanente nos canteiros por parte das 42 empresas participantes da pesquisa. Inclusive, monitoramentos semelhantes a esse serão realizados periodicamente, para que o acompanhamento da atividade aconteça permanentemente.

O Sinduscon, inclusive, adequou a campanha de Prevenção de Acidentes do Trabalho da Indústria da Construção Civil de Pernambuco, que existe há mais de 20 anos, para combater o contágio do novo coronavírus nos canteiros de obras. A iniciativa se baseia na implementação de normas de segurança específicas do setor, entre elas a NR 18, com inclusão também de check-list e treinamentos, sendo, desta vez, direcionados à prevenção da covid-19.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS