Antes de manifestação, Polícia Civil do DF realiza busca e apreensão em base de grupo bolsonarista

O alvo da ação da Cecor é o chamado “QG Rural”, grupo de militantes a favor do governo que estiveram acampados por algumas semanas em frente ao Ministério da Agricultura

Eduardo Rodrigues, Brasília

BRASÍLIA - Poucas horas antes das manifestações pró e contra o presidente Jair Bolsonaro previstas para este domingo na Esplanada dos Ministérios, a Polícia Civil do Distrito Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em uma chácara em Águas Claras (região administrativa do DF) utilizada com base de um dos pequenos grupos bolsonaristas que estiveram acampados até a última semana no centro da capital.

Apoiadores de Bolsonaro se aglomeram em frente ao Palácio do Planalto. 
Foto: André Borges/Estadão

LEIA TAMBÉM


O alvo da ação da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) é o chamado “QG Rural”, grupo de militantes a favor do governo que estiveram acampados por algumas semanas em frente ao Ministério da Agricultura.

O grupo é investigado por atos como os ataques simulado ao edifício do Supremo Tribunal Federal (STF) com fogos de artifício na noite do dia 13 de junho, horas após a Polícia Militar do DF desmantelar os acampamentos bolsonaristas na Esplanada dos Ministérios.

Apesar da proibição de protestos no centro de Brasília no último domingo, os integrantes do “QG Rural” permaneceram em frente ao Ministério da Agricultura, onde foram visitados pelo ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub. Além de ser multado em R$ 2 mil pelo governo do DF por não usar máscara e promover aglomerações, Weintraub reafirmou declarações polêmicas contra o STF no encontro que culminaram com o anúncio da sua exoneração na última quinta-feira (18). 

O governo do Distrito Federal decidiu fechar pela terceira 
vez a Esplanada dos Ministérios neste domingo, 21. 
 Foto: Dida Sampaio/Estadão

Lideranças e membros de outro grupo, autointitulado “300 do Brasil” foram presos ao longo da última semana após ameaças ao governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e ministros do STF. A líder do movimento, a extremista Sara Giromini (que adota a alcunha Sara Winter), segue detida na Comeia – penitenciária feminina no complexo do Presídio da Papuda. Ela é ex-assessora de confiança da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

O governo do Distrito Federal decidiu fechar a Esplanada dos Ministérios para o trânsito de veículos por causa de manifestações marcadas para ocorrer neste domingo, dia 21. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o fechamento não impedirá o acesso de manifestantes, ao contrário do que ocorreu no último domingo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em novo caso de nudez, corredora sai pelada em Porto Alegre

CICLISTAS SANTA-CRUZENSES DE MALAS PRONTAS PARA NOVOS DESAFIOS