OPINIÃO: TEVE ACORDO, QUE SE CUMPRA.

Por Jairo Gomes


O Deputado Diogo Moraes (PSB) tem sido questionado por suas declarações, no ano passado, quando dizia que estaria em 2020 com quem estivesse com ele em 2018, principalmente por aqueles que foram de 'mala e cuia' apoiá-lo e também à reeleição do governador Paulo Câmara. 

Para entender melhor o porquê de tais questionamentos vamos a uma síntese:

Não foi sem acordo político que o nome de Diogo foi costurado e teve o apoio dos Taboquinhas Fernando Aragão, Deomedes Brito, Marlos Melo, Ernesto  Maia e Carlinhos da Cohab, além de tantas outras lideranças. O grupo liderado por Zé Augusto, Capilé, Augusto Maia e Helinho Aragão votou em Tallys Maia para deputado estadual e em Armando Monteiro para governador. Tallys obteve 7.372 votos no município.

Diogo veio do grupo boca preta e trouxe os vereadores Toinho do Pará, Júnior Gomes, Joab Gomes e Ronaldo Pacas junto.

Essa junção deu a Diogo um palanque forte e ele contabilizou 10.006 votos na Capital da Moda. No total ele obteve 50.188 votos, garantindo sua reeleição à ALEPE.

Neste caso vale lembrar, que em diversas ocasiões, Diogo desfilou com Fernando Aragão apresentando-o como o candidato natural a prefeito do grupo. 

Veio a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santa Cruz  e para fazer o Vereador Augusto Maia presidente houve a aproximação de Diogo Moraes e Zé Augusto. A oposição ao prefeito Edson Vieira conta agora com 11 vereadores. Os que apoiam o prefeito são 06.

A partir desse resultado muitas questões foram levantadas. 

Zé Augusto em suas falas explicita a sua vontade de concorrer de novo ao cargo de prefeito e diz que não aceita imposições. Diogo já não cita o "candidato natural" e diz que um "nome de consenso deverá ser o escolhido". 

Essas mudanças de posicionamento tem inquietado muitos eleitores. Diogo tem dito que quer continuar como deputado e que melhor servirá ao município estando na ALEPE, mas não é assim que pensam e agem muitos que estão ao seu redor. Zé Augusto já demonstrou que Fernando não é o nome que ele quer para guiar os destinos de Santa Cruz. Correndo por fora já aparecem os nomes de Helinho e Augusto.

Portanto, para que se estabeleça o que foi combinado em 2018 e dúvidas não pairem sobre quem será o candidato a prefeito do grupo em 2020 basta que Diogo cumpra o que disse. 

Simples assim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara