OS R$ 20 MILHÕES DO CORONEL LIMA

ÉPOCA

Coaf identificou movimentação atípica na conta de Lima, apontado com operador de esquemas que envolviam Michel Temer

O coronel João Baptista Lima Filho, tido como operador em esquemas que envolveriam o ex-presidente Michel Temer Foto: Reprodução

Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro relataram que uma das razões da prisão preventiva contra João Baptista Lima Filho, o Coronel Lima, foi a análise de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que mostrava a tentativa de depósito de R$ 20 milhões, em dinheiro vivo, em uma das contas da Argeplan, em outubro de 2018. Curiosamente, neste mesmo mês, uma das contas de Lima no Bradesco tinha saldo similar: R$ 21,3 milhões. Neste mesmo mês, o Bradesco pediu que todas as contas de Lima e sua esposa, Maria Rita Fratezi, fossem encerradas. O coronel estrilou. Não quis encerrar. Em seguida, entrou na justiça contra o Bradesco alegando que se tratava de um rompimento unilateral de contrato, pedindo indenização de R$ 40 mil por danos morais. Ganhou. Suas contas permanecem lá. 

Saldo na conta de Coronel Lima ultrapassava R$ 21 milhões 
Foto: ÉPOCA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gabarito preliminar das provas do Concurso Público da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe

Carreata da Frente Popular lota as ruas de Santa Cruz do Capibaribe em apoio à campanha de Paulo Câmara